Motomix: programação tem música, filmes e debates

São três dias de programação, com umamostra multimídia, uma mostra de Cinema de Bolso, performances,debates e palestras. A ocupação artística denominada Motomix ArtMusic 2006 invadirá o Museu da Imagem e do Som (MIS), o MuseuBrasileiro de Escultura (MuBE) e o Espaço das Américas, na BarraFunda. São 18 horas de música, 14 instalações, 35 filmes, 5performances audiovisuais, 7 debates, 2 palestras, 1 workshop.No sábado, serão cerca de 9 horas em cada palco, começando com abanda-projeto do festival, a Project Band Motomix, que abre osshows "orgânicos", por assim dizer. Os novatos se credenciarampara abrir a maratona de shows, às 22 horas do sábado, depois depassar duas semanas no estúdio do produtor Dudu Marote, comworkshops de Ganjaman, Edgard Scandurra, Renato Cohen e músicosconvidados. Num festival com esse leque de atrações e abrangência, épreciso fazer escolhas, ninguém tem saúde para tanto. Entre orock orgânico e os eletrônicos, por exemplo. Se for para ficarcom os roqueiros de renome, o horário é entre 23 horas e 3 horas da manhã,o que reduz a maratona para "apenas" quatro horas de música. Para dizer o mínimo de cada uma dessas estrelas, diga-seo seguinte: o Art Brut é a maior novidade do rock no momento; oRadio 4, banda do Brooklyn, Nova York, é uma banda cem vezesmelhor ao vivo do que em disco; a escocesa Franz Ferdinand é umadas bandas mais bacanas surgidas nos últimos 5 a 10 anos. O melhor é que não são aqueles tipos de bandas metidas,que vivem nas nuvens do star system, bancando galã de Hollywood.Certamente a interação com os fãs no ambiente do festival serámais fácil e sem problemas. O set de DJ de Peter Hook, baixista do New Order, podeser a deixa para um descanso. No palco, Hook é agitadinho, e fazlá umas brincadeiras com o synthpop dos anos 80, mas é bemmelhor esperar o show do New Order, em novembro, paracompreender melhor a essência daquela música. A superpop norueguesa Annie, comparada a Kylie Minogue eoutras cantoras do gênero, também é um momento doçura paraprocurar um sofá ou um canto de parede para se encostar. O localdo festival é um tanto controverso: o show do cantor, produtor emultiinstrumentista Moby, no Espaço das Américas, foi um fiasco,pela desorganização (muita gente só conseguiu entrar lá pelasexta música). Há umas colunas que impedem a visão do palco e ogalpão não oferece conforto. Resta saber como a organização doMotomix fez melhorias ali. Há grupos eletrônicos realmente interessantes e outrosque são a deixa para um cachorro-quente ou uma digressão pelosalão. O duo Adult., de Detroit, formado em 1998 pela blondieNicola Koperus e Adam Lee Miller, é um punk eletrônico da melhorcepa, vindo de uma cena ebulitiva (com grupos como Genders, TheDirtbombs, Tamion 12 Inch e Soft Location). Entre os debates, está previsto o encontro amanhã entrea jornalista Claudia Assef e o produtor Swayzak (ela também teráuma mesa com o Modeselektor). Outros debatedores são RenatoCohen, Gui Boratto, Beto Brant, Kiko Goifman, Tadeu Jungle,Rejane Cantoni, Daniela Kutschat, Eduardo Srur, Lucas Bambozzzie Mário Ramiro (curadores de todo o evento) e uma palestra doestilista Alexandre Herchcovitch (sábado, às 18 horas).Oriente-se: Sábado Palco Motorokr Motomix Project- 22h às 22h50 Art Brut - 23h15 às 0h15 Adult. - 0h30 às 1h30 Franz Ferdinand 1h30 às 2h45 Radio 4 - 3h10 às 4h10 Addictive TV - 4h20 às 4h50 Peter Hook - 4h50 às 6h10 The MFA - Live - 6h10 às 7h Palco Motorazr Schneider TM - 22h às 22h50 Annie - Live - 23h15 às 0h15 Swayzak - Live - 0h às 0h50 Isolée - Live - 1h às 1h50 Adam Freeland - 2h às 3h30 Andrew Weatherall - 3h30 às 5h Modeselektor e Pfadfinderei - Vjs - 5h às 5h50 Gui Boratto - 6h às 6h50 Preço: R$ 120 (inteira) e R$ 60 (meia). Um ingresso por estudante. Tel.: (11) 3829-4899

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.