Morre Toninho, fundador dos Demônios da Garoa

Um dos fundadores do grupo Demônios da Garoa, o músico Antônio Gomes Neto, o Toninho, morreu nesta tarde, em São Paulo. Tinha 76 anos. Toninho sofria de diabetes e Mal de Alzheimer e estava afastado do grupo há cerca de um ano por causa da doença. Morreu ontem, por volta das 17 horas, no Hospital Antônio Alvarenga, no Ipiranga, onde estava internado havia cerca de um mês. Seu corpo seria velado na Assembléia Legislativa.Nascido na cidade de Jaú, Toninho tocava o violão tenor do grupo que nasceu no bairro paulistano da Mooca, em 1942. Os Demônios da Garoa conseguiram imprimir seu nome no Guinness Book, o livro dos recordes, por sua longa carreira de quase seis décadas. Consagraram-se cantando músicas de Adoniran Barbosa, clássicos da música popular como Trem das Onze, O Samba do Arnesto, Malvina, Saudosa Maloca. Seus integrantes: Sérgio Rosa (Serginho), no pandeiro, Antônio Gomes (Toninho), no violão, Roberto Barbosa (Canhotinho), no cavaquinho, Ventura Alcade (Bicudo), no violão de sete cordas,Sidney Claudio (Sardinha), no violão e Izael Caldeira da Silva, na timba/bumbu.O último disco do grupo, Demônios da Garoa - Ao Vivo 60 anos, foi lançado no ano passado, reunindo músicas clássicas do repertório do grupo. Símbolo do samba típico paulistano, a banda formada então por garotos do bairro da Mooca nasceu em 1942, com o nome de Grupo do Luar, fazendo serenatas pela noite e tocando em festas. Um ano depois, participou do programa de calouros A Hora da Bomba, na Rádio Bandeirantes, e ganhou como primeiro prêmio um contrato com as Emissoras Unidas. Tudo ia muito bem, mas os jovens decidiram trocar o nome da banda por sugestão do radialista Vicente Leporace, que achava que "grupo" dava idéia de "jogo do bicho". Os ouvintes enviaram sugestão e virou, então, Demônios da Garoa.O primeiro registro em disco veio em 1949, no 78 rotações Sanfoneiro Folgado, de Mário Zan. Mas o primeiro disco do grupo foi lançado só no ano seguinte. Emplacaram músicas como Jogo a Chave e Mulher Rendeira, do filme O Cangaceiro. Foram os responsáveis pelos maiores sucessos de Adoniran Barbosa que foi importante para eles na mesma proporção em que eles foram importantes para o Adoniran. Foram intérpretes quase exclusivos dele. A música do Adoniran era pitoresca e se tornou engraçada com a banda.

Agencia Estado,

25 de fevereiro de 2005 | 21h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.