Morre soprano Eileen Farrell

A soprano americana Eileen Farrell morreu aos 82 anos, no sábado, em Park Ridge, Nova Jersey, por causa de problemas circulatórios. Mesmo tendo feito apenas cinco temporadas na Metropolitan Opera de Nova York, Eileen era considerada uma das sopranos dramáticas mais importantes de sua época. Eileen cantou em ópera, mas também explorou o jazz e o pop. Conhecida por suas atuações em rádio e televisão, seu primeiro trabalho em ópera foi em 1956, na ópera de São Francisco. Poucos anos depois, era levada a Nova York por Rudolf Bing, gerente da Metropolitan Opera, que não costumava contratar novos cantores que não fossem já consagrados em outros teatros. Ele chamou Eileen em 1960 para encenar Alcestes. Dois anos mais tarde, a soprano inaugurou a temporada da Metropolitan Opera como Madalena em Andrea Chenier, de Giordano. Era conhecida por suas atuações em óperas do repertório italiano, como Alceste, Medea, La Gioconda, ou em papéis wagnerianos como Isolda e Brunhilde.Eileen Farrell também atuou como cantora pop, estreando em 1959, enquanto nos círculos eruditos cantava o Requiem de Verdi, no festival de Spoleto. Nos palcos da música popular, ela chegou a substituir Louis Armstrong, cantando suas baladas e blues com a banda Satchmo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.