Élcio Paraíso
Élcio Paraíso

Morre o violonista mineiro Chiquito Braga, aos 81 anos

Forte influência para o Clube da Esquina, acompanhou grandes nomes da música brasileira em shows e gravações, como Wilson Simonal, Elizeth Cardoso e Dorival Caymm

O Estado de S. Paulo

23 Dezembro 2017 | 20h35

Um dos mais importantes violonistas do Brasil, o mineiro Chiquito Braga estava internado há uma semana no Hospital Miguel Couto, no Rio, com insuficiência cardíaca e pneumonia e morreu de um enfarte, aos 81 anos, na sexta-feira, dia 22.

O enterro ocorreu no sábado, dia 23, às 13 horas, no cemitério São Francisco Xavier, na região central da capital fluminense.

+++ Toninho Horta lança songbook que desafia a lógica do ensino formal 

Sua sofisticada técnica harmônica, tendo na base o jazz e a música clássica, foi uma forte influência para o Clube da Esquina.

Ex-aluno do maestro pernambucano Moacir Santos, Chiquito também era um multi-instrumentista e em 2000 lançou o disco Quadros Modernos, com Toninho Horta e Juarez Moreira.

Nascido Francisco Andrade Braga, em Belo Horizonte, Chiquito acompanhou grandes nomes da música brasileira em shows e gravações, como Wilson Simonal, Elizeth Cardoso, Dorival Caymmi, Nara Leão, Maria Bethânia, João Donato, entre muito outros.  

Chiquito Braga participou ainda da trilha sonora de novelas da TV Globo, como Irmãos Coragem, O Cafona e Gabriela

Mais conteúdo sobre:
Clube da Esquina música

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.