Morre o pianista cubano Ruben González

O veterano pianista cubano Ruben González morreu nesta segunda-feira em Havana, aos 84 anos. González participava do projeto Buena Vista Social Club, e saltou para a fama mundial com o documentário de mesmo nome dirigido pelo alemão Wim Wenders. Uma porta-voz do Centro de Música Ignacio Piñeiro, instituição que cuidava do pianista, disse que Ruben González estava "muito doente", mas não deu detalhes sobre seu estado de saúde. Nascido em 1919 na cidade de Santa Clara, González se tornou pianista cedo. Em sua longa carreira, passou por grupos musicais dos mais famosos da história de Cuba. Dentre todos, destaca-se a Orquestra América y la Jorrín, da qual foi diretor. Nos anos 90, esquecido em Cuba tal como Ibrahim Ferrer e Compay Segundo, ele foi agrupado no Buena Vista Social Club pelo músico americano Ry Cooder. O grupo gravou um disco e após o documentário foi tratado pelo mundo como um tesouro que havia-se perdido. A sensação geral era de que o reconhecimento vinha tarde para aqueles músicos. Tanto assim que o disco Buena Vista Social Club foi vencedor de um Grammy em 1997. Daí para frente, Ruben González e seus colegas do Buena Vista passaram a frequentar os palcos dos Estados Unidos e Europa. Paralelamente, o pianista lançou discos solo, como Introducing... Ruben González e Chanchullo. Ele é o segundo integrante do Buena Vista Social Club a morrer em 2003. Em julho, Compay Segundo faleceu aos 95 anos.

Agencia Estado,

08 de dezembro de 2003 | 21h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.