Zack Hussein/AP
Zack Hussein/AP

Morre o maestro australiano Charlie Mackerras, aos 84 anos

Na Grã-Bretanha dirigiu o teatro Sadler's Wells de Londres, a Ópera Nacional de Gales e a Sinfônica da BBC

15 Julho 2010 | 13h05

LONDRES (AP) - O maestro Sir Charlie Mackerras morreu de câncer, segundo informou nesta quinta, 15, seu representante. Tinha 84 anos. A agência representante Askonas Holt disse que Mackerras morreu na quarta-feira à noite, em Londres.

 

Mackerras, que nasceu em Nova York em 1925, filho de pais australianos, cresceu e estudou na Austrália, mas vivia em Londres. Dirigiu orquestras importantes como a Sinfônica da BBC e a Philarmonia, além da English National Opera. No Covent Garden, casa real de ópera, atuou como convidado ao longo de mais de vinte temporadas. Na Alemanha, dirigiu a Ópera Estatal de Hamburgo e, nos EUA, era regente emérito e laureado da Ópera de São Francisco. Também dirigiu nos Estados Unidos, Áustria, Francia e otros países.

 

"Charlie Mackerras era uma força da natureza, um verdadeiro homem de teatro, que ensinou a todos como honrar as intenções de um compositor com personalidade, drama e entusiasmo", disse o maestro Antonio Pappano, diretor musical da Royal Opera House de Londres.

 

 

Mackerras, que estudou música no conservatório de New South Wales (Austrália) e continuou seus estudos em Praga, tornou-se um especialista na obra do compositor checo Leos Janácek, e o resgate da obra desse compositor rendeu a ele um dos diversos prêmios que recebeu por seu trabalho com a ópera. Era também um grande intérprete de Mozart.

 

Mackerras realizou numerosas gravações, sempre muito elogiadas pela crítica. Em 1973, dirigiu o concerto de inauguração da Ópera de Sydney. (Colaborou João Luiz Sampaio)

Mais conteúdo sobre:
Charles Mackerras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.