Facebook/Ataulpho Alves Junior
Facebook/Ataulpho Alves Junior

Morre o cantor e compositor Ataulpho Alves Junior

Filho do músico mineiro Ataulfo Alves (1909-1969), em 40 anos de carreira ele gravou cerca de 20 discos

Guilherme Sobota, O Estado de S. Paulo

16 Outubro 2017 | 09h47

Morreu neste domingo, 15, aos 74 anos, o cantor e compositor Ataulpho Alves Junior, no Rio. A causa da morte foi um infarto. Ainda não há informações sobre velório e sepultamento.

Em 40 anos de carreira, gravou cerca de 20 discos, e em 1976 veio o seu maior sucesso: Os Meninos da Mangueira.

Ele era filho do também cantor e compositor mineiro Ataulfo Alves (1909-1969), de quem administrava um legado de mais de 120 canções.

Ataulpho Alves Junior estreou nos palcos em 1963, no Teatro Record, em São Paulo, no "Programa Bossaudade", de Elizeth Cardoso, sua madrinha artística. Entre 1963 e 1969, trabalhou com o pai em shows por todo o Brasil. Ainda em 1969, gravou seu primeiro disco, um compacto simples pela gravadora Continental -- segundo o Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira.

Em 1976, gravou seu primeiro grande sucesso, Os meninos da Mangueira (Rildo Hora e Sérgio Cabral). A música alcançou o 1.º lugar nas paradas da época, abrindo caminho para outras canções do cantor, como Pedro Sonhador, Canto de Amor, A Bela da Tarde.

Nos anos 1990, fez turnês pela Europa, e em 1999, participou do projeto Discoteca do Chacrinha, gravado pela Universal/Polydor.

Em 2002, montou um show com Heitorzinho dos Prazeres, no qual reviveu mais de quatro décadas depois o conjunto Herdeiros do Samba, o primeiro grupo de sua carreira, com sucessos de Ataulfo Alves e Heitor dos Prazeres.

Em 2009, recebeu a comenda da Ordem do Mérito Cultural, concedida pelo Governo Federal.

Mais conteúdo sobre:
Rildo Hora Sérgio Cabral

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.