Morre o baterista Cláudio Slon

Morreu na noite de segunda-feira, em Denver, Estados Unidos, onde morava, o baterista Cláudio Slon, um dos músicos mais importantes da bossa nova, baterista sutil, delicado, preciosista. Argentino, veio para o Brasil aos 13 anos. Começou com Dick Farney, tocou com todos da geração, foi para os EUA com Walter Wanderley, passou para o conjunto de Sérgio Mendes, com quem ficou nove anos. Gravou com Sinatra e Tom, fez Wave, de Tom Jobim, Lobo, de Edu Lobo, Kicking Cans, de Dori Caymmi.Tocou com Herbie Mann, Dave Grusin, Joe Pass, Benny Golson, entre muitos. Fez os últimos três discos de João Donato, lançados pela Elephant Records. Slon tinha 58 anos e sofria de câncer no fígado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.