Morre o baixista Mike Porcaro, da banda de soft rock Toto

Ele, que sofria de esclerose lateral amiotrófica (ELA), e seu grupo criaram os hits 'Rosanna' e 'Africa'

AP

16 Março 2015 | 21h53

 Morreu no domingo, 15, aos 59 anos, o baixista Mike Porcaro, conhecido por sua participação na banda norte-americana de soft rock Toto, da qual ele saiu em 2007, quando sua saúde começou a piorar por causa da doença de Lou Gehrig.

Também chamada de esclerose lateral amiotrófica, ou ELA, é degenerativa e ataca as células que controlam os músculos do corpo. O físico inglês Stephen Hawking, retratado no filme A Teoria de Tudo, também sofre do mesmo mal, para o qual ainda não há cura. Com o mesmo diagnóstico, feito em 2011, morreu no dia 10 de março o cineasta Richard Glatzer, diretor de Para Sempre Alice, que deu o Oscar de atriz deste ano a Julianne Moore. 

Sucessos como Rosanna e Africa marcaram a trajetória da Toto, que, em 1982, antes ainda da chegada de Mike Porcaro ao grupo, em 1983, substituindo o baixista Mike Hungate, levou o Grammy por Toto IV na categoria de melhor álbum do ano. Também integraram a banda, formada no fim dos anos 1970, outros dois membros da família Porcaro, o irmão Jeff, baterista (que morreu em 1992), e o pai do trio, Joe, também baterista e percussionista. 

Em 2010, a banda anunciou uma turnê para arrecadar fundos para ajudar no tratamento de Mike e também para conscientizar as pessoas sobre a doença.

“Nosso irmão Mike morreu pacificamente durante o sono, em casa, cercado pela família. Descanse em paz”, escreveu o irmão, o tecladista Steve Porcaro, no Facebook. Ele não deu mais informações.

Com uma fusão de jazz, power-pop, soul, a Toto vendeu milhões de discos no fim dos anos 1970 e começo dos 1980, o que a levou ao Hall da Fama em 2009.

Mais conteúdo sobre:
Mike PorcaroTotomúsica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.