Divulgação
Divulgação

Morre, no RJ, o maestro Raul de Barros

Ele era um dos mais tradicionais trombonistas da gafieira carioca

Fabio M. Michel, da Central de Notícias,

09 de junho de 2009 | 00h05

Morreu na tarde desta segunda-feira, 8, o maestro Raul Nogueira de Barros - o Raul do Trombone -, aos 93 anos, em Itaboraí, cidade da região metropolitana do Rio. Ele sofria de insuficiência renal e tinha um enfisema pulmonar e estava internado no hospital Desembargador Leal Junior desde o dia 28 de maio.

 

Raul foi autor do clássico samba-choro Na Glória e era um dos mais tradicionais trombonistas de gafieira. Trabalhou nas rádios Tupi, Nacional e Globo, foi da orquestra da RCA Victor com Pixinguinha, teve sua própria orquestra e gravou 48 discos, a maioria na década de 60. Inventou um estilo chamado "hot samba" e foi referência para inúmeros trombonistas brasileiros.

 

Em 1966 foi para o Senegal participar do Festival de Arte Negra de Dacar, ao lado de Clementina de Jesus, Ataulfo Alves, Paulinho da Viola e Elton Medeiros, entre outros.

 

O corpo do maestro será enterrado nesta terça-feira, 9, em Maricá, no Rio, onde ele morava há cerca de 12 anos.

Tudo o que sabemos sobre:
maestroRaul de Barros

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.