Morre Lágrima Ríos, a dama do candombe uruguaio

A cantora uruguaia Lágrima Ríos,figura lendária de seu país, considerada a dama do candombe (dança e música de negros eescravos), morreu nesta segunda-feira à noite, aos 82 anos de idade, de uma enfermidade cardíaca, informaram nesta terça fontes familiares.Lágrima, que também teve destaque como cantora de tango e milonga, era muitoligada aos uruguaios descendentes de africanos e foi presidente doMundo Afro, uma organização social de apoio à comunidade negra e dedefesa das tradições culturais.O funeral de Lágrima Ríos no cemitério da capital uruguaia seráacompanhado por um desfile de tamborins em uma improvisada Llamada- tradicional desfile carnavalesco animado por negros e brancos fantasiados de negros - em homenagem a sua trajetória.Nascida em 26 de setembro de 1924, na província de Durazno, desembarcou menina na capital, vivendo entre os pobres nos bairros de Sur e Palermo, onde conheceu Carlos Gardel, após uma visita ao mítico cantor na casa onde vivia.Carismática, não demorou a se converter na rainha das Llamadas, expoente da cultura afrouruguaia e defensora da igualdade racial.Autoridades governamentais e dezenas de figuras da música do Uruguai assistiram nesta Terça ao velório e participaram do cortejo que conduziu seus restos mortais até o panteão da Associação Geral dos Autores do Uruguai.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.