Leon Neal/Pool Photo/ AP
Leon Neal/Pool Photo/ AP

Morre Hugh Masekela, lenda do jazz sul-africano

O músico, de 78 anos, foi casado entre 1964 e 1966 com a legendária Miriam Makeba (1932-2008)

EFE

23 Janeiro 2018 | 08h09

O legendário músico sul-africano Hugh Masekela, considerado o pai do jazz no país, morreu nesta terça-feira, 23, aos 78 anos, após uma longa batalha contra o câncer de próstata, informou sua família.

O trompetista, fliscornista, cornetista, compositor e cantor lutava contra a doença desde 2008 e a piora de seu estado lhe obrigou, em outubro de 2017, a cancelar um concerto no festival que levava seu nome, celebrado em Soweto, para centrar em seu tratamento.

Masekela tinha uma grande reputação internacional; participou de vários Dias Internacionais do Jazz - organizados pela Unesco desde 2011 - e de festivas de jazz por todo o mundo, como o de Monterey (a Califórnia, EUA) de 1967, onde tocou junto a figuras como Jimi Hendrix e Janis Joplin.

Além disso, foi um dos artistas mais destacados na abertura da Copa do Mundo de 2010, realizada na África do Sul.

O músico foi casado entre 1964 e 1966 com a legendária Miriam Makeba (1932-2008), cantora, atriz e ativista, uma das mais importantes representantes da luta contra o regime de Apartheid fora das fronteiras da África do Sul.

Masekela também esteve envolvido na luta contra o "Apartheid" desde muito jovem: seu primeiro trompete comprou do ativista anti-segregação Trevor Huddleston, que lhe ajudou a se integrar na primeira orquestra juvenil da África do Sul, a Huddleston Jazz Band.

As restrições contra o jazz na África do Sul depois que o Governo o considerou uma expressão de resistência terminaram com seu exílio, primeiro em Londres e depois em Nova York.

Em 1982 participou da Conferência Cultural e de Resistência realizada em Botsuana pelo Congresso Nacional Africano (CNA), que governou o país desde a chegada da democracia em 1994.

Precisamente, um de seus mais recordados sucessos, "Bring Him Back Home", lançado em 1987, se transformaria na canção da excursão mundial de Nelson Mandela após sua saída de prisão.

A família de Masekela indicou que informará os detalhes de seu funeral nos próximos dias.

 

Mais conteúdo sobre:
jazz música Apartheid

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.