Morre Buddy Miles, ex-baterista de Jimi Hendrix

Causa da morte é desconhecida; segundo imprensa local, músico de 60 anos sofria de problemas coronários

Efe,

28 Fevereiro 2008 | 09h41

O baterista americano Buddy Miles, que trabalhou com artistas como Jimi Hendrix e Carlos Santana, morreu na terça-feira, 26, em Austin (Texas), aos 60 anos. A causa da morte ainda não é conhecida, mas, segundo indicam publicações especializadas, o músico sofria de problemas coronários. Miles começou sua carreira aos 12 anos, quando tocava na banda de jazz de seu pai, The BeBops, nas regiões próximas à sua cidade natal de Omaha (Nebraska). Após uma atuação no Brooklyn, o guitarrista Michael Bloomfield o convidou para formar uma nova banda, a Electric Flag. Posteriormente, Miles fundou a Buddy Miles Express, pela qual gravou Expressway to Your Skull, que contou com a colaboração de Hendrix, em 1968. A parceria entre os músicos continuou: Miles tocou em algumas faixas do clássico Electric Ladyland de Hendrix, e o guitarrista produziu outro de seus trabalhos, Electric Church, em 1969. Juntos, fundaram a Band of Gypsys, que contava com a participação de Billy Cox. A banda só lançou um álbum, gravado ao vivo em Nova York. Após a morte de Hendrix, Miles retomou com sucesso o Buddy Miles Express, graças sobretudo ao disco Them Changes, que se manteve nas paradas durante 74 semanas. Em 1972, Miles gravou um disco ao vivo no Havaí com Carlos Santana, que se tornou um grande sucesso de vendas. Mais tarde, o baterista colaborou com nomes como Stevie Wonder, David Bowie e Bootsy Collins. Por acusações relacionados com as drogas, o músico passou um período na prisão no final da década de 70 e início de 80, mas voltou à música em 1986, com o grupo California Raisins. Em 1994, voltou a trabalhar com Carlos Santana e criou uma nova versão da Buddy Miles Express. Nos últimos anos de sua vida, Miles se dedicou a manter vivo o espírito de Hendrix, através de atos promocionais e participando de tributos em sua memória. No momento de sua morte, trabalhava em três projetos musicais e estava envolvido em atividades destinadas a arrecadar dinheiro para as vítimas de furacões nos EUA.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.