AP
AP

Morre, aos 93 anos, o multi-instrumentista Yusef Lateef

Músico, que uniu o jazz à world music, sofria de câncer na próstata

O Estado de S. Paulo

24 de dezembro de 2013 | 12h19

O multi-instrumentista e compositor Yusef Lateef morreu na segunda-feira, aos 93 anos. Ele sofria de câncer na próstata, mas seus representantes disseram que ele morreu confortável e em casa, ao lado de sua família e amigos mais próximos , na cidade de Shutesbury, Massachussets.

Várias vezes vencedor do Grammy, Lateef foi um dos primeiros artistas a propor a junção da world music com o jazz. Ele começou a carreira como saxofonista tenor, impressionando com sua técnica - e da mesma forma seria celebrado, mais tarde, como flautista, oboísta e fagotista. Esteve no Brasil em 2010 e, na ocasião, falou sobre o que o motivava como artista. "O que eu procuro é mergulhar dentro daquilo que sou. O que me mantém ativo é a busca do significado do presente."

Ele gostava de incluir instrumentos de sopro e madeira de diversas regiões do mundo em sua música. Em 2010, foi condecorado pelo governo norte-americano como Jazz Master do National Endowment for the Arts. "Ele foi uma fonte de inspiração para o mundo da música durante muitos anos. Um muçulmano devoto, é adorado por cristãos, judeus, budistasm hindus. Ele teve um enorme impacto espiritual em todos nós e sempre criou grande música", disse dele Sonny Rollins.

"Ele sempre está no primeiro trem rumo ao desconhecido", escreveu o crítico musical João Marcos Coelho em 2010, quando o artista lançou o disco Towards the Unknown. "Você ouve o disco e se surpreende pela voz macia e sopro estridente. Um minuto e meio de um blues primal em que canta: jamais sentimos as coisas do mesmo jeito. É, sua música está em permanente e serena revolução. (Com agências internacionais)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.