JJ Guillén/ EFE
JJ Guillén/ EFE

Morre aos 93 anos a cantora e atriz espanhola María Dolores Pradera

Ao longo da sua carreira ganhou vários prêmios e distinções, entre eles um Grammy à Excelência Artística

EFE

29 Maio 2018 | 10h24

A cantora e atriz María Dolores Pradera morreu nesta segunda-feira, 28, em Madri, sua cidade natal, aos 93 anos de idade, segundo informaram ao jornal El País fontes familiares.

María Dolores Pradera deixou uma longa trajetória artística de quase 70 anos e 40 discos, e ao longo da sua carreira ganhou vários prêmios e distinções, entre eles um Grammy à Excelência Artística por toda sua vida profissional em 2008.

Sua carreira artística começou no cinema em 1941 como figurante no filme Porque te vi llorar, embora também atuado no teatro em versões de La Celestina, María Pineda e Fortunata y Jacinta, mas foi com sua faceta de cantora que conseguiu seu maior sucesso e alcançou fama internacional.

Seu primeiro disco foi lançado em novembro de 1960 e na sua trajetória musical - grande parte dela unida ao grupo Los Sabandeños - está presente a obra de Chabuca, Horacio Guaraní, Mercedes Sosa, Sánchez Ferlosio, Amancio Prada e Carlos Cano.

Entre seus sucessos estão Amarraditos, La flor de la canela, El rosario, Que te vaya bonito e Caballo prieto azabache.

Também interpretou suas canções em duetos com artistas de diversas gerações como Rapahel, Joaquín Sabina, Miguel Bose e colaborou com Enrique Bunbury, Amaia Montero e Ana Torroja.

A cantora também era membro honorário do Fórum Ibero-Americano das Artes, instituição que lhe rendeu uma homenagem em 2011.

María Dolores Pradera esteve casada com o ator Fernando Fernán Gómez por 12 anos e com ele teve dois filhos, Elena e Fernando.

 

Mais conteúdo sobre:
música María Dolores Pradera

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.