Morre aos 90 anos o cantor francês Henri Salvador

Henri Salvador, um dos cantores favoritosda França, morreu na quarta-feira aos 90 anos, anunciou suagravadora. O guitarrista e antigo apresentador de TV morreu em suacasa devido à ruptura de um aneurisma, às 10h30, horário local,informou a gravadora Polydor. Nascido em Caiena (Guiana Francesa) em 1917, Salvadoracabara de comemorar seus 70 anos de carreira e se despedirados palcos com um último concerto no último 21 de dezembro noPalais des Congrès, em Paris. Seu último álbum, lançado em 2006, foi "Révérence". Guitarrista e pianista de jazz, crooner, humorista,produtor e apresentador de televisão, Henri Salvador acompanhouDjango Reinhardt e se formou na escola dos grandes músicosnegros norte-americanos. Além de sua excepcional longevidade, tornou-se conhecidopor seu riso inimitável. Suas canções populares ("Syracuse","Une chanson douce", "Dans mon île", "Le travail c'est lasanté", "Zorro est arrivé") são sempre cantadas pelosfranceses. Foi entre gargalhadas que ele se despediu dos palcos háquase dois meses, diante de um público de 4.000 pessoas, numconcerto marcado pelo humor. "É uma profissão que eu adoro, e me esforcei por trabalharnela pelo maior tempo possível," ele revelou na época à TF1."Não gosto da idéia de me aposentar. Acho que vou ficarentediado." Henri Salvador voltou ao topo das paradas em 2000 com seuálbum "Chambre avec vue", que lhe valeu dois troféus Victoirede la Musique e marcou seu retorno a suas duas maiores paixões,o jazz e a bossa nova. Com Boris Vian, ele introduziu o rock na França e compôsalgumas pérolas nesse gênero, incluindo "Rock and roll mops" e"Le blues du dentiste". O presidente francês Nicolas Sarkozy, que acaba de retornarda Guiana Francesa, disse que tomou conhecimento da morte deSalvador "com infinita tristeza". "Na confluência do jazz, da canção e da bossa nova, daEuropa e da América, amigo de Boris Vian, Sacha Distel eGilberto Gil, Henri Salvador encarnou com humor e elegância,por mais de meio século, a arte da canção francesa", disseSarkozy em comunicado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.