Reprodução YouTube
Reprodução YouTube

Morre, aos 34 anos, a DJ e cantora Sophie

Sophie Xeon foi a primeira artista transgênero a ser indicada ao Grammy

Redação, O Estado de S. Paulo

30 de janeiro de 2021 | 13h29

A cantora, produtora e DJ escocesa Sophie morreu neste sábado, 30, na Grécia, onde vivia. Ela tinha 34 anos e morreu após subir em um lugar mais alto para ver a lua cheia, segundo informações da gravadora Future Classic.

"Tragicamente, nossa bela Sophie morreu nesta manhã depois de um acidente terrível. Fiel à sua espiritualidade, ela escalou para ver a lua cheia, escorregou e caiu. Ela sempre estará entre nós. A família agrade a todos por seu amor e apoio e pede privacidade neste momento devastador", diz a postagem da gravadora nas redes sociais.

Sophie Xeon nasceu em Glasgow, na Escócia, em 1986. Ela lançou singles como Bipp (2013) e Lemonade (2014). Seu álbum de estreia, Oil of Every Pearl's Un-Insides foi apresentado em 2018 e indicado ao Grammy de melhor disco de dance/eletonônico. Foi a primeira indicação do Grammy para uma artista transgênero.

Parcerias na música

Na produção, Sophie esteve ao lado de grandes artistas. A música Vroom Vroom, faixa-título do EP de Charli XCX, contou com autoria da DJ, e o single Bitch, I'm Madonna, gravado ao lado de Nicki Minaj, também teve colaboração de Sophie.

No Twitter, a cantora Heloise Letissier, do grupo Christine and the Queens, lamentou a morte da colega. "Sophie foi uma produtora estelar, uma visionária, uma referência. Ela se rebelou contra uma sociedade limitada e normativa sendo um triunfo absoluto, tanto como artista ou como mulher. Eu não acredito que ela se foi", escreveu a cantora.





 

Tudo o que sabemos sobre:
músicaSophie Xeon

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.