EFE/Archivo/Alberto Aja
EFE/Archivo/Alberto Aja

Morre a mezzo-soprano espanhola Teresa Berganza aos 89 anos

Cantora participou de 87 gravações, segundo a base de dados Operadis; em 1958, se apresentou com Maria Callas, na ópera 'Medea' de Cherubini

AFP, Reuters

13 de maio de 2022 | 11h40

A mezzo-soprano espanhola Teresa Berganza, que se apresentou nos principais teatros do mundo desde sua estreia na década de 1950, morreu nesta sexta-feira, 13, aos 89 anos, informaram autoridades culturais e a mídia espanhola.

"Lamentamos o falecimento de Teresa Berganza", escreveu o ministério da Cultura em sua conta no Twitter, enquanto o primeiro-ministro, Pedro Sánchez, destacou que Berganza foi "uma das grandes vozes femininas nos palcos do mundo".

"Sua voz, sua elegância, sua arte estarão sempre conosco", concluiu Sánchez no Twitter sobre a cantora madrilena, especialista nos repertórios dos compositores Gioachino Rossini e Wolfgang Amadeus Mozart, além da personagem Carmen da ópera de mesmo nome de Georges Bizet.

Um comunicado da família transmitido à imprensa inclui uma mensagem póstuma da cantora: "Não quero anúncios públicos, nem velórios, nem nada. Vim ao mundo e ninguém soube, por isso quero o mesmo quando eu partir".

Sua grande estreia nos palcos aconteceu em 1957 no Festival de Aix en Provence na França, no papel de Dorabella de Così fan tutte de Mozart.

No ano seguinte faria sua estreia nos Estados Unidos, em Dallas, junto com Maria Callas, na ópera Medea de Cherubini, e, desde então, apresentou-se em todo o mundo: Viena, Milão, Paris, Londres, Nova York, Chicago...

Participou em 87 gravações, segundo a base de dados Operadis (https://www.operadis-opera-discography.org.uk/.).

 

 




 

Tudo o que sabemos sobre:
Teresa Berganzaóperamúsica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.