Morre a cantora colombiana Soraya

A cantora colombiana Soraya, que ganhou, em 2004, o Grammy Latino na categoria de melhor álbum de cantora e compositora pelo CD Soraya, morreu ontem em um hospital de Miami, vítima de um câncer de mama. Tinha 37 anos. A informação foi dada por um porta-voz de sua gravadora, a EMI latina. A cantora nascida em Nova York, em 10 de maio de 1969, filha de pais colombianos, teve o diagnóstico de câncer há seis anos.Sua morte causou consternação tanto no meio artístico como entre os ativistas na luta contra o câncer de seio. Antes de morrer, Soraya publicou em seu site na Internet uma carta a seus fãs em que fala sobre a enfermidade, como se estivesse consciente de que iria morrer em breve. A cantora deixou uma mensagem de esperança a seus seguidores. "Minha história física pode chegar ao fim, mas estou certa de que aquela que existe no coração de vocês vai seguir presente por toda a eternidade. Confio que minha existência deixará marcas na vida de vocês, beneficiando o futuro de muitas mulheres", disse ela em carta publicada em site dias antes do seu falecimento.A intérprete de Casi e De repente, morreu depois de lutar incessantemente contra a doença, diagnosticada em 2001. Na mensagem de despedida que deixou, agradeceu os fãs por abrirem seus corações às suas músicas. "Sem seus ouvidos minhas canções seriam só um sonho. Minha arte sempre por vocês e para vocês. Espero que vocês a possam sentir, pensar, apreciar, questionar, aspirar e, sobretudo, amar", disse Soraya. Soraya viveu muitos anos nos Estados Unidos, perdeu a mãe, uma avó e uma tia materna vítimas de câncer. Soraya introduziu nos Estados Unidos a guitarra de 12 cordas conhecida como tiple e cantava canções tanto em espanhol como em inglês.Foi com o CD Soraya, lançado em 2003, época em que achou que estava completamente recuperada do câncer, que ganhou o Grammy latino. As músicas transmitem sua necessidade de celebrar a vida. No ano passado, fez seu último trabalho, El Otro Lado de Mí, que contém os êxitos Llévame e Cómo Sería. Soraya dedicou os últimos anos de vida à promoção de programas de incentivo à luta contra o câncer nos Estados Unidos, em Porto Rico, na Colômbia e em outros países latino-americanos. Em 2004, Soraya concorreu aos Prêmios Billboard de Música Latina com a canção Espíritu de la Esperanza. No ano passado, foi indicada novamente ao Grammy latino na categoria melhor álbum feminino e também foi nomeada aos Prêmios Oye na categoria melhor intérprete feminina de pop latino. "Não há dor em vão porque a essência da vida consiste em valorizar a experiência da luta para fazer de seus dias melhores", disse ela na mensagem. "Hoje não perco essa batalha porque vou ajudar outras pessoas a vencerem uma batalha maior, que é a de detectar o quanto antes este terrível mal". E finalizou: "Não deixem de vencer! Existe muito caminho a percorrer e esta luta vale a pena".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.