Mônica Salmaso puxa o samba no Crowne

O projeto Samba em Sampa, idealizado por Sérgio Mamberti - seguindo em sua proposta de criar o velho clima das rodas do gênero na cidade - apresenta, amanhã e domingo, Jair do Cavaquinho, Mônica Salmaso e o violonista Paulo Bellinati. Integrante da Velha Guarda da Portela, Jair do Cavaquinho, de 80 anos, foi chamado de maior cavaquinhista de samba por ninguém menos que Jacob do Bandolim. No ano passado, ele lançou seu primeiro disco pelo selo Acari Records. Será daí que sairão músicas para as apresentações, entre elas Conversa de Malandro, Água no Rio, Adeus Palhaço e Cavaquinho Feliz. O grupo Quinteto em Branco e Preto, formado por paulistas apadrinhados por Beth Carvalho, foi escalado para ser o acompanhante de honra de Jair. Mônica e Bellinati são antigos parceiros. Em 1995, gravaram o disco Afro Sambas com as peças de Baden Powell e Vinicius de Moraes. Para a apresentação, a dupla preparou canções como Canto de Ossanha, Consolação, Labareda e Bocochê. Mônica surpreendeu o meio popular com sua técnica lírica e sofisticada. Em 1999, venceu o 2.º Prêmio Visa de MPB - Edição Vocal. Como reconhecimento, gravou, pelo selo Eldorado, o elogiado disco Voadeira. No mesmo ano, levou também o prêmio de melhor cantora concedido pela Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA). Mônica Salmaso, Paulo Bellinati e Jair do Cavaquinho. Amanhã, às 21h. Domingo, às 20h. Crowne Plaza (Rua Frei Caneca, 1360. Tel.: 289-0985) Ingresso: R$ 20.

Agencia Estado,

21 de setembro de 2001 | 11h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.