Moacir Santos, homenagem no Memorial

Algumas revisões no fim deste século são de grande valor para a música brasileira. Na quinta e na sexta-feira, presta-se uma homenagem de relevância indiscutível e que pode, em tempo, registrar uma obra com a bênção de seu autor. No Memorial da América Latina realiza-se o Tributo ao Maestro Moacir Santos, que vai estar presente, mas, dessa vez, não vai tocar nem reger. Será parte do público, podendo apreciar o repertório composto por suas músicas.Parte da inciativa do projeto foi do regente e músico Guilherme Vergueiro, que responde pela produção musical do tributo. "Eu achava importante resgatar a obra de artistas que moram fora do Brasil e, em conseqüência disso, vão sendo esquecidos pela mídia e pelo público", afirma ele."Com a parceria do Memorial, será possível mostrar quanto a composição do maestro Moacir Santos foi importante para a música brasileira. Ele é um dos maiores compositores brasileiros do século." Santos foi parceiro de Vinícius de Morais - que demonstrou sua admiração por ele na música Samba da Bênção - em Se Você Disser Que Sim e Triste de Quem. Autor do clássico Nanã, que ganhou recente releitura de Wilson Simoninha, ele foi ainda mestre de Baden Powell e Paulo Moura. Hoje, o maestro Moacir Santos, radicado nos EUA desde o fim dos anos 60, se sente feliz mas não envaidecido pelo tributo. "Tenho em mim, acho que é coisa que vem da minha criação, a ausência desse sentimento", afirma o maestro. "É difícil de acreditar que a minha música foi tão importante. Eu não esperava chegar tão longe."Vergueiro reuniu um naipe de excelentes músicos e intérpretes para a homenagem de amanhã e sexta-feira. "A música do maestro exige instrumentistas tarimbados, experientes e de qualidade", acredita. "É uma inspiração tocar a sua obra." O repertório será baseado nos discos The Maestro (já indicado para o Grammy e editado pelo selo Blue Note), Saudade e Carnaval dos Espíritos.O elenco musical é formado por: Roberto Sion, Mané Silveira, Teco Cardoso, Daniel Alcântara, Sidney Borgani, Donizete Fonseca Mario Rocha, Guilherme Vergueiro (vai tocar piano e reger o espetáculo), Paulo Braga, Mozart Terra Vieira, Heraldo do Monte, Zé Alexandre, Rogério Bocono, Edson Gianesi e Marco Bosco. O tributo conta ainda com a presença de Leila Pinheiro e Johnny Alf, que vão cantar algumas músicas.

Agencia Estado,

20 de dezembro de 2000 | 17h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.