Missa renascentista 'perdida' por 450 anos sobe nas paradas pop

Uma suntuosa primeira gravação de uma missa renascentista italiana de 450 anos atrás, composta para 40 partes vocais, está subindo nas paradas pop britânicas, uma semana depois de lançada.

MICHAEL RODDY, REUTERS

14 de março de 2011 | 12h46

A gravação feita pelo grupo vocal britânico I Fagiolini da missa pouco conhecida de Alessandro Striggio, composta em 1566 para 40 vozes -- a maioria das missas é composta para quatro vozes -- estreou no 68o lugar nas paradas pop, à frente de Bon Jovi, George Harrison e Eminem.

Ela foi número dois nas paradas clássicas, perdendo apenas para o violinista holandês Andre Rieu.

O regente e fundador do I Fagiolini, Richard Hollingworth, que acha que a missa possui uma qualidade "hipnotizante", falou com a Reuters em entrevista telefônica no domingo.

"Isto não é um filme em preto e branco, é em Technicolor de Hollywood total. Acho que é por isso que funciona tão bem. É como um caleidoscópio auditivo."

A missa foi apresentada em várias grandes cidades europeias na época em que foi composta, mas foi catalogada erroneamente na Biblioteca Nacional de Paris, onde foi redescoberta há alguns anos pelo musicólogo Davitt Moroney, sendo apresentada pela primeira vez nos tempos modernos em Londres em 2007, dentro dos concertos BBC Proms.

O grupo I Fagiolini e seu selo Decca Classics, do grupo musical Universal, não pouparam recursos para a gravação, feita com cinco corais e um conjunto de instrumentos musicais de época.

Alessandro Striggio, que viveu entre 1536/7 e 1592, foi compositor da corte da família Médici em Florença.

Tudo o que sabemos sobre:
MUSICAMISSARENASCENTISTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.