Misfits visita os anos 50 em ritmo punk

Sid Vicious inventou de cantar My Way, de Frank Sinatra, e o punk rock nunca mais foi o mesmo. Agora é a vez da veterana banda americana Misfits (foi criada em 1977) mergulhar de cara no som da velha-guarda. O grupo, que se apresenta esta noite em São Paulo, faz o show de lançamento do disco Misfits Project 1950, cantando clássicos que embalaram os bailinhos dos nossos pais (ou avós, dependendo do caso). Só que eles vêm com a velocidade e a crueza do punk rock. Músicas como Donna, de Richie Valens, e Diana, de Paul Anka, mais adequadas para trilha sonora de bailes cor-de-rosa do tipo Peggy Sue, viram pancadaria sonora nas mãos de Jerry Only (baixista e vocalista do Misfits) e seus convidados (Dez, guitarrista do grupo punk Black Flag; e Marky Ramone, baterista do mitológico Ramones). Além de Donna e Diana, a noite dos punks de Halloween poderá ter coisas como This Magic Moment (Jay and the Americans), Dream Lover (Bobby Darin), entre outros. Fora o repertório somado de Misfits (26 anos de estrada), Black Flag (22 anos de currículo) e Ramones (quase 30 anos de rock). "A espinha dorsal do punk sempre foi o som de três acordes, que por sua vez inspirava-se no rock clássico dos anos 50. Eu sempre quis gravar algumas daquelas músicas que inspiraram os Misfits a mostrar aos amigos como tudo começou", disse Jerry Only, para justificar a gravação dessa coleção de relíquias em ritmo punk. Jerry Only costuma divulgar um tipo de pronunciamento que resume sua filosofia de vida e explica o por quê de se manter maquiado como um figurante de filme B há 26 anos. "Os Misfits têm sido preservados pela determinação e a mudança de rumo vai prosseguir. Essa determinação é impulsionada pela lealdade de nossos fãs e amigos. Nossa meta é simples, é sermos os melhores." Misfits. Hoje, às 21h30. R$ 40,00 (pista) e R$ 70,00 (camarote). DirecTV Music Hall. Avenida Jamaris, 213, tel. 6846-6040.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.