Estadão
Estadão

Miley Cyrus faz show modesto e comportado em São Paulo

Vários elementos essenciais do espetáculo não foram trazidos ao Brasil por problemas de logística

João Paulo Carvalho, O Estado de S. Paulo

26 Setembro 2014 | 23h03

Quem esperava por uma performance bizarra da cantora norte-americana Miley Cyrus na noite desta sexta-feira, 26, na Arena Anhembi, em São Paulo, voltou para casa frustrado. Com um show modesto e até certo ponto comportado, a mais nova rebel teen, pelo menos desta vez, não polemizou.

Vários elementos essenciais do espetáculo não foram trazidos ao Brasil por problemas de logística, fato que acabou prejudicando o tom cinematográfico da turne Bangerz.

Miley, no entanto, compensou o número inferior de elementos cênicos com muita disposição e energia. "Olá, Brasil. É muito bom estar aqui com vocês", disse a pop star assim que pisou no palco da Arena Anhembi um pouco depois das 21h.

A apresentação de Miley mais lembra uma festa de aniversário infantil rebelde, repleta de traquinagens cafonas com bichos de pelúcia gigantes e dançarinas desajeitadas, do que um espetáculo musical. "Eu quero ouvi-los mais alto", disse Miley antes de emendar a canção Maybe You're Right.

Fato é que Miley tenta passar uma imagem rebelde, sensual e cada vez mais distante da puritana Hannah Montana. Sem seus acessórios pitorescos, Miley torna-se uma cantora normal, embora tenha total presença de palco e não desafine em nenhum momento.

O formato sul-americano do show de Miley quer ganhar o público pela música, mas a tática nem sempre dá resultado. A artista ainda tenta animar. Pega uma garrafa, coloca água na boca e cospe na plateia. Orgulhosa daquilo que acaba de aprontar, sorri e repete o ato outras vezes. Em outra tentativa de chamar a atenção, Miley pega um pênis de pelúcia e fica com ele no colo.

A cada música, Miley usa e abusa da troca de figurino. A ídolo teen não repete uma única roupa. Em Lucy in the Sky, cover razoável dos Beatles, Miley usa uma camiseta com seu rosto em forma de caveira.

Miley ainda tenta sensualizar. Coloca uma bunda postiça. Deita no chão enquanto um dos dançarinos bate freneticamente no objeto aderido.

Hits como Wrecking Ball, We Can't Stop e Party in the USA não ficaram de fora do show.

Embora não tenha externado em São Paulo um terço de suas peraltices, a carreira de Miley Cyrus é recheada de polêmicas. Na semana passada, durante uma apresentação no México, um de seus dançarinos chicoteou a cantora com a bandeira mexicana no dia da independência do país. A norte-americana pode ser multada por ofensa ao símbolo da pátria.

Recentemente o show de Miley Cyrus foi proibido na República Dominicana por atentar contra a moral e os bons costumes do país.

Em 2012, a pop star comemorou o aniversário do ex-namorado, o ator Liam Hemsworth (Jogos Vorazes), lambendo um bolo em formato de pênis. Um ano depois, a cantora subiu ao palco do EMA com um cigarro de maconha nas mãos.

Esta foi a segunda passagem de Miley Cyrus pelo Brasil. A primeira ocorreu em 2011, quando a cantora ainda interpretava Hannah Montana, famosa série da Disney. Miley segue agora para o Rio de Janeiro, onde se apresenta no domingo, 28, na Praça da Apoteose.

Segundo informações da assessoria de imprensa do show, 20 mil pessoas estiveram presentes no Anhembi na noite desta sexta-feira. A apresentação terminou ao som de Party in the USA. Miley ainda teve tempo de beijar dois cigarros gigantes de maconha. "Amo vocês, Brasil. Até a próxima", disse.

Mais conteúdo sobre:
Miley Cyrus São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.