Mick Jagger faz 65 anos e ganha aposentadoria do governo

Vocalista dos Rolling Stones continua a fazer o relógio andar para trás com shows ao vivo em que desafia idade

Reuters,

25 de julho de 2008 | 11h24

A partir de sábado, Mick Jagger terá direito a uma aposentadoria básica do governo britânico. São quase 91 libras semanais, o equivalente a R$ 285. Mas o líder dos Rolling Stones terá que esperar outros cinco anos para ter direito ao isolamento térmico gratuito do telhado de sua casa. Este benefício só é dado aos britânicos com mais de 70 anos.    Veja também:  Universal Music assina contrato com Rolling Stones 'Amo duas mulheres', revela guitarrista dos Rolling StonesO vocalista da banda britânica Rolling Stones completa 65 anos nesta sábado, 26, e, com isso, se tornará aposentado por idade - mas apenas no papel. Mick Jagger continua a fazer o relógio andar para trás com performances ao vivo em que desafia sua idade. Recentemente, impressionou platéias em cinemas com seus malabarismos, caras e bocas captados pelo diretor Martin Scorsese no documentário Shine a Light. Embora suas façanhas fora do palco já não se equiparem aos excessos do Stone Ronnie Wood, que passou recentemente por uma clínica de reabilitação devido a problemas com o álcool, está claro que Jagger não pretende simplesmente viver de sua fama, afastar-se do mundo e cuidar de seu jardim. Ele vem se envolvendo cada vez mais na produção cinematográfica, tendo sido produtor executivo de Shine a Light e trabalhado em dois outros longas desde então. Rumores sobre um novo álbum e nova turnê mundial dos Rolling Stones chegam aos noticiários regularmente. Se a fortuna de Jagger, estimada em 225 milhões de libras, somada à aposentadoria, não for suficiente para bancar suas despesas, outra turnê seria uma maneira certeira de ajudá-lo a ficar fora do vermelho. A turnê A Bigger Bang foi a mais lucrativa de todos os tempos. De acordo com o produtor de turnês dos Stones, Michael Cohl, seu faturamento foi de US$ 558 milhões entre 2005 e 2007. Michael Philip Jagger nasceu em Dartford, sul da Inglaterra, em 26 de julho de 1943, filho de um professor e uma cabeleireira. Ele se tornou vocalista dos Rolling Stones, formado no início dos anos 1960, e cantou uma longa lista de hits que viraram clássicos, desde (I Can't Get No) Satisfaction a Ruby Tuesday e Angie. Estima-se que a banda já vendeu mais de 200 milhões de álbuns em todo o mundo. Figura constantemente  no topo ou perto do topo das listas dos grupos e artistas mais influentes da história da música pop.Jagger já teve vários relacionamentos com mulheres de destaque, incluindo Marianne Faithfull e Carla Bruni, a atual mulher do presidente francês Nicolas Sarkozy. Ele se casou com a beldade nicaraguense Bianca Perez Macias em 1971 e com a modelo texana Jerry Hall em 1990. Eles se divorciaram em 1999. Jagger, que tem sete filhos, incluindo um com a apresentadora brasileira Luciana Gimenez, já é avô. O libertino do rock recebeu o título de cavaleiro britânico em 2003, quando rejeitou sugestões de que teria se vendido ao establishment britânico que criticou durante tanto tempo. "Acho que o establishment, tal como o conhecíamos, não existe mais", disse ele. Agora que chegou à idade oficial da aposentadoria, é provável que Jagger enfrente mais perguntas sobre seu futuro e o dos Rolling Stones. Mas isso é algo com que ele já deve estar acostumado. Mais de 45 anos atrás lhe perguntaram por quanto tempo ele conseguiria continuar com os Rolling Stones e, em outra entrevista, questionaram: "Você pode se imaginar aos 60 anos fazendo o que faz hoje?". "Sim, tranquilamente", ele respondeu.

Tudo o que sabemos sobre:
Mick JaggerRolling Stones

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.