Divulgação
Divulgação

Michael Jackson fugiria ao Bahrein caso fosse condenado por supostos abusos

Em declarações ao jornal 'The Times', seu irmão Jermaine afirma que Michael já tinha um avião privado preparado para levá-lo ao Golfo Pérsico, que não tem tratado de extradição com os EUA

Efe

10 de setembro de 2011 | 08h31

LONDRES - A família de Michael Jackson tinha planejado uma fuga do cantor ao Bahrein caso fosse condenado por abuso de menores em 2005, segundo declarou neste sábado Jermaine Jackson, um dos irmãos do artista ao The Times.

 

Em declarações ao jornal, o irmão mais velho explica que tinha preparado um avião privado, com a ajuda financeira de um amigo, para levar Michael ao Estado do Golfo Pérsico, que não tem tratado de extradição com os Estados Unidos, onde o "rei do pop" morava.

 

Apesar do cantor não ter sido informado sobre tais planos, ele aceitaria a proposta "na hora", segundo seu irmão. Contudo, a estratégia foi cancelada já que em junho de 2005, após quatro meses de julgamento, o caçula dos Jackson foi absolvido de todas as acusações, que incluíam dar álcool a Gavin Arvizo, então de 13 anos, e conspirar para seu sequestro.

 

Michael Jackson morreu no dia 25 de junho de 2009, aos 50 anos, por intoxicação aguda de um anestésico em sua casa de Los Angeles, poucos dias antes de voltar aos palcos com a turnê This is it em Londres.

Tudo o que sabemos sobre:
Michael Jacksonabuso sexualjulgamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.