Marco Siqueira/AE
Marco Siqueira/AE

Michael Jackson esteve três vezes no Brasil

Rei do pop fez show com Jackson Five, nos anos 70, voltou nos anos 90 ao Morumbi e para gravar um clipe

Rafael Vergueiro, do estadao.com.br,

25 de junho de 2009 | 21h44

O cantor norte-americano Michael Jackson, que morreu nesta quinta-feira, 25, em Los Angeles (Estados Unidos) após sofrer uma parada cardíaca, esteve três vezes no Brasil. Uma nos anos 70 com o grupo Jackson Five e outras duas na década passada.

Veja também:

linkJacko: sucesso, polêmica e inúmeros adjetivos

especialA trajetória de Michael Jackson, ícone do pop

som Território Eldorado: ouça todas as fases do rei do pop

blog Fórum: Morre Michael Jackson, rei do pop

mais imagens Veja galeria de fotos

video 'Thriller', o disco mais vendido da história

video 'Beat It', com Michael Jackson

linkMichael Jackson morre primeiro no Twitter

 

Ele se apresentou pela primeira vez no País em setembro de 1974, quando tinha apenas 16 anos, durante turnê do Jackson Five pela América Latina. Na ocasião, Michael Jackson já era a grande sensação e principal compositor das músicas do grupo. Além de São Paulo, fez shows em Brasília, Porto Alegre, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

 

Já consagrado no mundo da música, Michael Jackson retornou ao Brasil em 1993 para fazer dois shows em outubro daquele ano no Estádio do Morumbi, em São Paulo. Filas de fãs se formaram na porta do local nos dias que antecederam as apresentações. Cerca de 200 mil pessoas assistiram aos shows.

 

Mas o fato mais marcante aconteceu quando o cantor caminhava pela cidade com sua comitiva de vans, depois de visitar a fábrica de brinquedos Estrela. Um dos carros atropelou dois adolescentes e Márcio Alberto de Paulo, com 15 anos na ocasião, quebrou a perna. Para não manchar a sua passagem pelo País, ele foi visitar o garoto no hospital.

Três anos mais tarde, Michael Jackson esteve novamente no Brasil para gravar um clipe da música They Don't Care About Us. E criou polêmica no Rio de Janeiro.

O governo carioca estava preocupado com a divulgação de imagens de favelas na cidade para todo o mundo. Com isso, o diretor do clipe, Spike Lee, resolveu o problema de forma inusitada: negociou diretamente com traficantes e conseguiu a permissão para gravar cenas no morro Dona Marta.

O mesmo clipe teve imagens gravadas em Salvador e contou com a presença do grupo Olodum.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.