Michael Jackson é acusado por delitos anteriores

Os promotores do caso de abuso sexual do pop star Michael Jackson desejam incluir no processo provas de que o cantor cometeu outros delitos sexuais ao longo dos anos, que nunca foram objeto de acusações formais.Os promotores disseram em sua moção que as provas de incidentes anteriores demonstrarão a "propensão" de Jackson para cometer tais delitos, suas motivações e como o cantor "criou as oportunidades (necessárias) para conseguir seu objetivo"."A melhor maneira de demonstrar que um indivíduo é um delinqüente sexual é demonstrar que ele cometeu delito sexual é demonstrar que ha cometido delitos mais de uma vez", disse na moção o promotor distrital auxiliar Gerald Franklin.Os documentos afirmam que os delitos sexuais ocorreram ao que tudo indica na fazenda Neverland (Terra do Nunca) de Jackson, que édescrita pelos fiscais como um "verdadeiro paraíso" para crianças.Em uma moção apresentada na terça-feira, os promotores afirmaram que tais provas devem ser admitidas segundo uma lei californiana de 1995, que permite que atos relevantes anteriores que tenham sido objeto de acusações ou não, sejam considerados nos casos de delitos sexuais.Na moção de 65 páginas registrada junto ao juiz da Corte Superior Rodney Melville, os promotores apresentaram as "evidências de delitos sexuais anteriores" que querem utilizar contra Jackson.A moção, assim como a solicitação dos advogados de defesa para o adiamento de seis semanas do julgamento de Jackson que está marcado para 31 de janeiro.Jackson declarou-se inocente das acusações de abuso de menores, conspiração e de dar bebida alcoólica à vítima.Os advogados de Jackson disseram necessitar de um adiamento de seis semanas para ter tempo de examinar cerca de 14 mil páginas de documentos apresentados pela promotoria nos doisúltimos meses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.