Michael Jackson defende o Sabbath

Começou o festival de esquisitices que normalmente acompanha as fases de maior exposição de Michael Jackson. O astro, que foi criado em uma família de Testemunhas de Jeová, agora ficou amigo do rabino Shmuley Boteach, autor do best-seller Kosher Sex. Apesar de ter afirmado que não se converteu ao judaísmo, ele escreveu um artigo para o jornal Jewish Telegraph falando sobre a importância do Sabbath. "Quando virei pai, meu conceito de Deus e do Sabbath mudou completamente", diz Jacko. "Falo com Deus por meio de meus filhos." Hmmm. O cantor está preparando seu primeiro disco de músicas inéditas desde Dangerous, de 1991.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.