"Metrópolis" exibe agitos do festival Francofolies

Durante a temporada de festivais e de altas temperaturas na Europa, a equipe do programa "Metrópolis", da TV Cultura, acompanhou um dos mais charmosos eventos de música da França, o Francofolies, que movimentou a cidade de La Rochelle, entre os dias 13 e 18 de julho. O repórter Cunha Jr. e o cinegrafista Ronaldo Justino lá permaneceram durante todo o festival, o que rendeu sete reportagens especiais, que começam a ir ao ar nesta segunda-feira, no "Metrópolis".A série estréia com Cunha fazendo um panorama do festival. Nos demais programas, as reportagens serão divididas por temas: em um delas, o repórter faz a ponte entre o trabalho de alguns artistas e o cinema. Noutra, o tema são os jovens e seu engajamento (o rapper Wouilo, de 17 anos, e a dupla Mouss et Hakin, formada por irmãos descendentes de árabes, estão entre os entrevistados). Há ainda a renovação da Chanson, canção tradicional francesa, e como o Francofolies incentiva o turismo em La Rochelle. No foco de outros dois programas: o perfil de Agnès Jaoui, cantora e diretora de longas como Gosto dos Outros, e outro perfil, o do grupo Sayag Jazz Machine, que mistura sons e imagens em suas performances.Entre os mais de 90 artistas que participaram do Francofolies, o Sayag Jazz Machine foi uma das atrações que mais impressionou Cunha Jr., o que valeu um episódio só para ele. ´É um coletivo de músicos, que trabalha com imagens e as amarra com músicas. É o que mais gostei´, observa. Outras peculiaridades do festival chamaram atenção do repórter. ´O Francofolies é um festival só de língua francesa, que conta não só com os músicos da França, mas de outros países de mesmo idioma. Há desde a música tradicional até as mais experimentais.´Também a convite do Escritório de Música Francesa no Brasil, ligado ao Consulado Geral da França, Cunha Jr. havia feito a cobertura de um outro festival, o Eurockéennes, na cidade francesa de Belfort, no ano passado. Aquela primeira experiência, conta o repórter, deu subsídios para ele e sua equipe se prepararem melhor para este ano. Afinal, o Francofolies compreenderia muito mais dias e atrações.O evento ocupou cinco palcos, distribuídos por diversos pontos de La Rochelle. Em dois desses palcos, os shows eram pagos, enquanto nos demais, a entrada do público foi gratuita. ´Um dos palcos trazia músicos que tocaram apenas para as crianças. Depois dos shows, elas tinham contato com artistas. Mostra a preocupação dos franceses com a educação.´Nesse período, além do calendário oficial do festival, a cidade costuma ficar tomada por outros músicos, que aproveitam a agitação local para exibir seu trabalho e ganhar uns trocados a mais. ´Músicos da França inteira vão para lá´, relata o repórter. ´Tinha grupo que estava lá há três dias e já havia vendido 500 CDs.´ Festival Francofolies. TV Cultura. De hoje a sexta, às 12h30. Continua nos dias 2 e 3.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.