Mestre da música tradicional pernambucana morre no Recife

Mestre Salu foi um dos principais nomes na preservação de gêneros como maracatu, coco e ciranda

Da redação

31 Agosto 2008 | 16h03

Um dos principais nomes da cultura pernambucana, o músico Manoel Salustiano Soares, mais conhecido como Mestre Salu, não resistiu a uma arritmia cardíaca e morreu neste domingo, 31, às 7h30, em Recife. Ele estava internado no Pronto Socorro Cardiológico de Pernambuco há sete dias, após complicações com a doença de Chagas, que enfrentava há 20 anos. O velório será realizado neste domingo, na Casa da Rabeca, em Olinda. e o músico será enterrado na segunda, dia 1º, na cidade de Paulista (PE).   Nascido em 1945, o músico tinha 62 anos e era uma das principais referências vivas da música tradicional pernambucana. Além de fabricar seus próprios instrumentos, ele ainda foi responsável pela preservação e continuidade de estilos musicais típicos, como ciranda, o maracatu, o coco, o improviso da viola, o caboclinho, entre outros. As informações são do site PE 360º.

Mais conteúdo sobre:
Pernambuco Maracatu Folclore

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.