Mestre Ambrósio faz show em SP

Ano novo, disco antigo. Para os integrantes do grupo pernambucano Mestre Ambrósio, 2003 será um ano para dar continuidade ao trabalho de divulgação de Terceiro Samba - o terceiro disco da banda, que foi lançado em 2001. "O projeto para o novo ano é manter vivo o trabalho com o nosso último CD, a gente quer estender a vida dele o máximo possível", admite o percussionista e dançarino Maurício Alves.Hoje e amanhã, a banda se apresenta na choperia do Sesc Pompéia com um repertório que reúne músicas dos seus três álbuns. O fato de o grupo optar por não gravar um novo disco nesse ano não significa que seus integrantes estejam ociosos. Ao contrário, todos os músicos do sexteto estão aproveitando esse hiato de produção para tocar projetos pessoais.O compositor Siba (voz, rabeca e guitarra), por exemplo, lançou em 2002 o elogiado Fuloresta do Samba - que reúne músicos veteranos da Zona da Mata de Recife. "O Siba foi quem conseguiu levar seu trabalho pessoal à tona com uma repercussão maior da imprensa - e com total consentimento de todos da banda", frisa o percussionista. "Conhecemos todos os músicos que gravaram com ele e o produtor do disco, Beto Villares, produziu também nosso último CD."Quem também aproveitou o ano passado para dedicar-se ao trabalho solo foi o percussionista e cantor Sérgio Cassiano, que junto com Siba é responsável pelo o maior volume de composições do Mestre Ambrósio.Maurício quer formar orquestra de percussão "Sei que ela já gravou um CD demo e está divulgando o trabalho pouco a pouco", conta Maurício, que, por sua vez, tem se dedicado à formação de uma orquestra de percussão e a um grupo de dança com crianças e adolescentes da periferia da zona sul de São Paulo.Ele, em parceria com a Associação Comunitária Despertar (no Jardim Mirian), desenvolveu o projeto Charanga, que visa introduzir jovens carentes da região ao universo da percussão regional e da dança. O percussionista vai à associação quatro vezes por semana e oferece aulas para cerca de 60 crianças e adolescentes da comunidade."A associação acolheu o projeto e a idéia é formar os dois grupos antes do final do primeiro semestre", calcula o percussionista. "Queremos fazer algumas apresentações em São Paulo e viajar por várias cidades do País."O percussionista Hélder Vasconcelos está se dedicando ao trabalho com sua distribuidora, Terreiro Records, que distribui discos de selos alternativos de Recife. O baixista Mazinho está morando em Brasília - onde está se dedicando à produção de discos de artistas locais - e o percussionista Éder tem trabalhado em um projeto chamado Olho Da Rua, voltado para a formação de um grupo de maracatu.No repertório dos shows de hoje e amanhã, devem ter constar Povo, Caninana, Fera e Carneirinho - todas de Terceiro Samba, que introduziu o samba no caldeirão de ritmos regionais do Mestre Ambrósio.Mestre Ambrósio, hoje e amanhã, às 21h, no Sesc Pompéia (R. Clélia, 93. Tel. 3871-7700). De R$ 10 a R$ 20.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.