Memória Musical 2002 apresenta concerto

Savino de Benedicts, João Gomes deAraújo e Henrique Oswald são os compositores homenageados da 5.ªedição do Projeto Memória Musical que, encabeçado peloviolinista Erich Lehninger e pela Nery Cultural, resgata e editadesde 98 obras de autores brasileiros, disponibilizando aspartituras para consulta. As obras restauradas dos compositoresserão apresentadas no domingo e na segunda, em concerto daOrquestra Sinfônica Municipal, com regência de Lutero Rodrigues,atual diretor e regente titular da Orquestra Sinfonia Cultura. A peça a abrir o programa será Chant Elegiaque,composta em 1934 por Savino de Benedicts. Nascido em 1883,Benedicts foi uma das mais influentes figuras da vida musicalpaulistana na passagem do século 19 para o 20. Não apenas nocampo da composição - é autor, além do Chant Elegiaque, deobras como Jesus, com texto de Menotti Del Picchia -, mastambém no papel que desenvolveu na criação da Academia Musicalde São Paulo, da Orquestra Sinfônica Municipal, do Sindicato dosMúsicos Profissionais no Estado de São Paulo e da Ordem dosMúsicos do Brasil. Além disso, integrou o primeiro grupo deprofessores do Conservatório Dramático e Musical de São Paulo -entre seus alunos, Francisco Mignone e Gilberto Mendes. Itália - Pertencente à mesma geração de Carlos Gomes,João Gomes de Araújo (1846-1943), que viveu durante muitos anosna Itália, é o segundo compositor do concerto, que terá aexecução de sua Sinfonia n.º 5. Araújo compôs missas,marchas e hinos, mas é sua produção sinfônica a que mais chama aatenção de estudiosos. Ao todo foram seis, em um período dahistória musical em que este tipo de composição era pouco comum- apenas Cláudio Santoro, Villa-Lobos e Camargo Guarnieridedicaram-se exaustivamente a este repertório. Assim comoBenedicts, Araújo foi um dos fundadores do ConservatórioDramático Musical, onde também lecionou, e à sua obra sinfônicaassocia-se freqüentemente o estilo romântico tardio de fortesinfluências italianas. Também na Itália viveu por 35 anos - financiado peloimperador d. Pedro II - Henrique Oswald (1852-1931), que encerrao concerto e nos últimos anos tem tido sua obra revivida tambémpelo pianista e professor José Eduardo Martins, da Universidadede São Paulo. De fato, seu Concerto para Violino e Orquestra- que será apresentado no País pela primeira vez - foi escritoem Florença, entre 1899 e 1900, e estreou dez anos mais tarde emParis, sob regência do também brasileiro Alberto Nepomuceno ecom a participação do violinista Francisco Chiaffitelli. Arevisão das partituras da obra foi de Dawid Korenchendler. Este foi o único concerto escrito por Oswald paraviolino e orquestra, que o compôs quando morava na Itália. Aliás, grande parte de sua obra foi escrita em terras italianas.Oswald deixou o País quando tinha 16 anos e, ao retornar,substituiu Alberto Nepomuceno no posto de diretor do InstitutoNacional de Música. Orquestra Sinfônica Municipal - Regência Lutero Rodrigues. Projeto Memória Musical. Domingo, às 11 horas; segunda, às 21horas. De R$ 10,00 a R$ 35,00. Teatro Municipal. Praça Ramos deAzevedo, s/n.º, São Paulo. Tel. (11) 222-8698.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.