Medina quer fazer Rock in Rio em Lisboa

Portugal deve ter um Rock in Rio. Oempresário Roberto Medina pretende levar para a capitalportuguesa uma edição do seu evento musical. Os shows vãocomeçar em 29 de maio de 2004, sob o nome de Rock in Rio emLisboa."Pretendemos que seja em dois fins de semana, logoantes da Eurocopa de 2004, de forma a obter sinergia com oevento, que vai trazer pessoas de toda a Europa que vêm para ocampeonato", conta Medina. Já foi assinado um protocolo deintenções com a prefeitura de Lisboa.Segundo Medina, a idéia de levar o Rock in Rio paraPortugal foi de Felipe Resnicov, que trabalha com Medina noscontatos com agentes de artistas. "Ele vivia dizendo que deviair para Portugal. Vai ser o desafio de enfrentar uma culturanova e consolidar uma marca latino-americana no continenteeuropeu". Resnicov vai ficar em Portugal tocando o projetoquando Medina estiver no Brasil.O evento português terá o mesmo formato do Rock in Rio,incluindo uma Tenda Portugal, uma Tenda Raízes para world music,uma Tenda Eletro para DJs e um concurso Escalada do Rock, paragrupos locais. Assim como no Brasil, 5% das receitas vão para umprojeto social. "O projeto será definido em conjunto pelogoverno português e por mim."Apesar de repetir o modelo brasileiro, o Rock in Rio emLisboa será menor do que o carioca. "Pretendemos um espaço de100 mil a 150 mil metros quadrados para construir a cidade dorock em Lisboa, suficiente para reunir em torno de 100 milpessoas", diz Medina. A cidade do rock no Rio tem 250 milmetros quadrados e capacidade para mais de 250 mil pessoas.Até terça-feira, Medina e o prefeito de Lisboa, PedroSantana Lopes, vão procurar um espaço para a realização do Rockin Rio na cidade. Caso não encontrem um local adequado - quepossa ter transportes e segurança -, Medina admite realizar oevento num estádio de futebol.Brasil - Além de levar o Rock in Rio para Portugal,Medina já está preparando o próximo evento no Brasil. O Rock inRio IV, previsto para 2004, deverá ter apenas músicosbrasileiros. "Com o câmbio desfavorecido, fica muito difícilorganizar um evento com músicos internacionais. Fizemos umapesquisa de opinião e as pessoas aprovaram a idéia, elas queremir à festa", diz Medina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.