Médicos voltam a colocar Johnny Hallyday em coma induzido

Roqueiro francês sentiu dores após operação de hérnia de disco e passou por nova cirurgia nos EUA

EFE,

11 de dezembro de 2009 | 16h45

O roqueiro francês Johnny Hallyday, de 66 anos, voltou a ser colocado hoje em coma induzido horas depois de ter despertado após uma cirurgia a qual foi submetido em Los Angeles, informou sua assessoria de imprensa.

 

O cantor foi operado na noite de quarta-feira no hospital Cedars-Sinai de Los Angeles, aonde chegou no último dia 1º.

 

Segundo a assessoria, Hallyday foi colocado em coma induzido novamente para que sofra menos incômodo e para que os médicos possam administrar o tratamento necessário.

 

O francês passou por uma cirurgia de hérnia de disco em Paris no dia 26 de novembro e sentiu dores ao chegar aos EUA.

 

Familiares e amigos do músico insistiram em tranquilizar os fãs sobre o estado de saúde de Hallyday e garantem que está fora de perigo.

 

Ao mesmo tempo, criticaram o médico que operou Hallyday em Paris, Stéphane Delajoux, conhecido por atender famosos na França.

 

Segundo o produtor de Hallyday, a cirurgia do dia 26 de novembro foi "um massacre" e o médico não desaconselhou o cantor a viajar para Los Angeles após a intervenção.

 

O advogado de Delajoux, David Koubbi, defendeu a atuação do médico, afirmou que a operação transcorreu "perfeitamente" e que os exames pós-operatórios foram "normais".

 

Antes da cirurgia por causa da hérnia de disco, Hallyday foi submetido a duas operações devido a um câncer de cólon. Além disso, passou vários dias internado depois de sofrer uma queda em seu iate.

 

Este novo problema de saúde atrasará a turnê do cantor, que deveria começar no início do ano que vem. Será sua última grande sequência de shows, que terminará no dia 13 de fevereiro com uma grande apresentação no palácio dos esportes de Bercy, em Paris.

Tudo o que sabemos sobre:
Johnny Hallyday

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.