Médicos comemoram saída de Herbert da UTI

Dezessete dias depois do acidente de ultraleve que quase o matou, o cantor e compositor Herbert Vianna foi transferido da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para a Unidade Semi-Intensiva do Hospital Copa D?Or, onde está internado. ?Estamos muito satisfeitos, essa saída da UTI foi um marco no tratamento dele?, afirmou oneurocirurgião Paulo Niemeyer Filho. ?Havia toda aquela expectativa sobre se ele iria sobreviver ou não e hoje todos nós temos a convicção de que ele vai vencer isso.?O músico se encontra com 10 pontos na Escala de Glasgow - que avalia a profundidade do coma e vai de 3 a 15. ?Quando ele chegar a 11 ou 12 pontos, deve acordar. Isso não quer dizer que ele estará inteiramente lúcido, inteiramente presente, mas já será considerado fora do coma?, explicou Niemeyer. Segundo o neurocirurgião, isso deverá ocorrer nos próximos dias. ?O próximo progresso que esperamos é que ele compreenda alguma ordem simples, demonstre algum tipo de comunicação.?Na Unidade Semi-Intensiva, Herbert Vianna está contando com a companhia da família. ?Pedimos a seus parentes que conversem com ele porque, a qualquer momento, ele pode atender a uma ordem simples?, afirmou Niemeyer. O músico passa a maior parte do tempo com os olhos abertos e demonstra estar ouvindo. ?Ele abre os olhos quando há um barulho ou quando o chamam?, disse o neurocirurgião.Niemeyer voltou a dizer que só poderá fazer um prognóstico de possíveis seqüelas neurológicas depois que o músico sair do coma. Tomografia de crânio realizada ontem mostra que as lesões continuam sendo absorvidas satisfatoriamente. Herbert Vianna ainda não apresenta reflexos nas pernas, mas, Niemeyer voltou a explicar que a reação é normal após um trauma. ?É precisoesperar duas ou três semanas para termos uma avaliação mais precisa?, disse. O ortopedista Luiz Cláudio Schettino informou que a coluna domúsico está inteiramente consolidada. ?Os fisioterapeutas o colocam sentado sem nenhum problema?, disse.Segundo o pneumologista João Pantoja, as lesões pulmonares do músico também apresentaram melhora expressiva. Ele respira sem aparelhos, masainda está com traqueostomia para poder ser submetido a fisioterapia respiratória e para evitar que alguma saliva vá parar em seu pulmão -uma vez que ainda não tem o controle total das vias respiratórias superiores.

Agencia Estado,

20 de fevereiro de 2001 | 19h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.