Kevork Djansezian/Reuters
Kevork Djansezian/Reuters

Médico responsável pela morte de Michael Jackson é libertado

Após cumprir metade da pena, Conrad Murray deixa a prisão

AP

28 de outubro de 2013 | 16h23

O médico responsável pela morte de Michael Jackson, Conrad Murray, foi libertado nesta segunda-feira. Murray havia sido condenado em 2011 por homicídio culposo quando o cantor morreu devido ao uso de propofol administrado pelo médico. O medicamento deve ser administrado apenas para anestesiar pacientes que passarão por cirurgias.

Devido a uma mudança na lei californiana, Murray conseguiu a liberdade após cumprir dois dos quatro anos a que havia sido condenado.

A advogada do médico, Valerie Wass, disse que ele pretende voltar a praticar medicina. Entretanto, sua licença foi suspensa na Califórnia, Nevada e Texas, estados nos quais ele trabalhava antes de ser preso. 

Recentemente, a AEG Live, empresa que contratou Murray para cuidar do cantor, foi inocentada em processo movido pela família de Michael Jackson. O júri, neste caso, considerou que Murray extrapolou o papel para o qual tinha sido contratado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.