Médico de Michael Jackson vai se apresentar na sexta

Site TMZ afirma que o médico Conrad Murray deverá ser acusado de homicídio involuntário pela morte do astro

estadao.com.br,

04 Fevereiro 2010 | 14h09

O médico do astro pop Michael Jackson vai se apresentar na sexta às autoridades de Los Angeles, diz o site TMZ. Ele deverá ser acusado de homicídio involuntário pela morte do astro, segundo apurou o site junto a uma fonte não identificada. O TMZ foi o que primeiro deu a notícia da morte do rei do pop em junho do ano passado.

 

Segundo o TMZ, o médico Murray já tem uma audiência marcada com um juiz às 13h30 e o encontro será gravado por uma câmara de TV.

 

Conrad Murray, que tem consultório em Houston, viajou para Los Angeles no fim de semana passado e passou a terça-feira com sua nova equipe de três advogados. Seu principal advogado de defesa, Ed Chernoff, disse que Murray está preparado para se apresentar à Justiça.

 

 

Michael Jackson, que tinha 50 anos quando morreu, contratou Murray como seu médico particular enquanto se preparava para uma turnê em Londres. O rei do pop morreu em 25 de junho em Los Angeles depois que Murray, que o atendia em sua mansão alugada, medicou o cantor com o poderoso anestésico Propofol e dois sedativos para tratar a insônia crônica de seu paciente.

O escritório forense do Condado de Los Angeles concluiu que sua morte foi um homicídio. O Propofol só pode ser usado por um anestesista profissional em um hospital. O paciente requer monitoramento constante porque a droga deprime o ritmo cardiorrespiratório e abaixa a pressão arterial, uma combinação de fatores potencialmente mortal.

Mais conteúdo sobre:
Michael Jackson

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.