McCartney lidera luta por prorrogação de direitos autorais

Paul McCartney e Robbie Williams juntaram-se a milhares de outros artistas na quinta-feira para fazer um apelo em defesa da prorrogação, na Grã-Bretanha, dos direitos autorais sobre gravações.Os artistas, em um anúncio de página inteira publicado no jornal Financial Times e contendo mais de 4 mil nomes, pediram "fair play" para os músicos.Um órgão do governo rejeitou na véspera prorrogar o direito de exclusividade sobre gravações para além dos atuais 50 anos.O anúncio declarou que falava em nome de mais de 3.500 gravadoras e 40 mil artistas. "Pedimos que o governo britânico dê apoio à prorrogação dos direitos de propriedade sobre gravações", diz o apelo.Cliff Richard, cujo primeiro sucesso, Move It!, de 1958, está perto de cair em domínio público, tem liderado a campanha que visa chamar atenção para a questão.Se a lei não for mudada, o catálogo dos Beatles (de McCartney), por exemplo, começaria a cair em domínio público a partir de 2012. Nessa primeira leva de gravações estariam sucessos como Love Me Do e I Want To Hold Your Hand.A Indústria Fonográfica Britânica diz que continuará fazendo pressão para que os direitos autorais passem a vigorar por 95 anos, o mesmo período previsto nas leis norte-americanas. Uma decisão final sobre a questão teria de passar pelas mãos da Comissão Européia (Poder Executivo da União Européia, UE).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.