McCartney impede leilão da letra de "Hey Jude"

O ex-beatle Paul McCartney conseguiu impedir judicialmente nesta segunda-feira que a casa de leilões Christie´s de Londres vendesse o manuscrito original da letra da canção HeyJude, que ele escreveu nos anos 60 e que alega ter sido roubado de sua casa.Esperava-se que a folha de caderno com a letra da canção fosse arrematada por até 80 mil libras (US$ 116 mil) no leilão marcado para terça-feira, mas McCartney levou o caso à Justiça e obteve a sentença de última hora. Por determinação judicial, o manuscrito ficará guardado na Christie´saté que se decida, por acordo ou deliberação da Justiça, a quem pertence.O advogado de McCartney, Richard Meade, disse que a folha de caderno foi tirada da casa do músico durante um dos vários roubos que ocorreram ali ou foi furtado por algum empregado da família.Meade acrescentou que a letra da música tem grande valor sentimental para seu cliente porque foi escrita para alegrar Julian Lennon, quando seus pais, John e Cynthia Lennon, estavam se separando. O filho do parceiro de Paul tinha então 5 anos de idade.O manuscrito foi enviado à Christie´s pelo francês Florent Tessier, que disse tê-lo comprado de um camelô em Londres, por 10 libras (então US$ 24), numa viagem que fez ao Reino Unido em 1971 ou 72. O advogado de Paul disse que Tessier devia ter noção do valor do documento, já que o comprou com 10% de todo o dinheiro que tinha levado para a viagem e que, portanto, deveria ter suspeitado de sua origem criminosa.Meade declarou ainda que Tessier, embora afirme agora que não imaginava que o manuscrito fosse tão valioso, mantinha-o enquadrado e pendurado na parede de sua casa. O representante da Christie´s, Richard Morgan, questionou por que McCartney nunca deu queixa do desaparecimento da folha de papel, se ela tinha tanto valor sentimental para ele. O ex-beatle não se manifestou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.