Mattoso empresta sonetos a músicos famosos

O poeta Glauco Mattoso já foi chamado de arauto da perversão. Ficou cego há seis anos e não escrevia desde então. Mas, a partir de 99, começou a usar a métrica e a rima dos sonetos para continuar sua produção, pois são mais fáceis de memorizar. Agora, o autor paulistano, que também leva no currículo o título de um dos melhores sonetistas brasileiros, recorre a um eclético time do cenário musical nacional para proclamar sua poética escatológica e libidinosa. Trata-se do lançamento do disco Melopéia: Sonetos Musicados, título da gravadora independente Rotten Records, que traz as vozes de Arnaldo Antunes e Itamar Assumpção, dos roqueiros Humberto Gessinger e Wander Wildner, e participação das bandas punk Devotos, Inocentes e 365. Para completar a irreverência, do grupo, o brega Falcão. O disco tem só mil cópias e é objeto de desejo para todo e qualquer culturette. A capa é do quadrinista Lourenço Mutarelli, que fez uma paródia do disco Tropicália de 68, com Glauco no lugar de Torquato Neto, é claro. Os CD com os 23 poemas podem ser encomendados à própria gravadora, por meio do e-mail rotten@rottenrecords.com.br.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.