Martinho da Vila e Elton Medeiros dão show em SP

O fim de semana tem duas atraçõesmusicais que se destacam pela ótica da maturidade. Amanhã esábado, na Tom Brasil, Martinho da Vila olha para o samba e seusparentescos por meio do lançamento de seu novo CD Martinho daVila da Roça e da Cidade. Ele maneja com propriedade a visãode interessado na cultura popular (na verdade é um pesquisador)com a ginga de sambista nato.A outra fica por conta do projeto Samba em Sampa, criadopor Carlos e Sérgio Mamberti, que estréia nesta sexta-feira no TeatroCrowne Plaza. Nele, a família Mamberti reuniu conceitualmente anova e velha-guarda do samba, de São Paulo e do Rio. O projetotem uma programação que prossegue até o fim de setembro. Aprimeira atração é o compositor Elton Medeiros, que contará coma participação especial de Virgínia Rosa e do Quinteto em Brancoem Preto - o conjunto estará em todas as apresentações.Martinho da Vila da Roça e da Cidade, segundo ocompositor, é um disco que olha para o Rio sem clichês. "Muitagente lembra do Rio somente como a terra do futebol, da praia.Desconhecem o seu interior, de onde migrou uma parte importantedessa cultura. Isso me ocorreu há pouco tempo", diz ele. "Masnão busco registros, embora eles sejam pouco para tamanhariqueza. Acho que, quando faço trabalhos como esse, estouincentivando a entrada dessa música na mídia. Às vezes opatrocínio não é exatamente o mais importante, mas um estímulo,mostrar as qualidades dessa produção. Acho que essa colaboraçãoé mútua e posso fazê-la."Martinho divulga as tradições há muitos anos. Sempre pormeio da sua criação e de regravações. Hoje ele vê que a suaatitute tem um caráter didático. "Além de informar, acho quetenho também de dar em troca, pensar em arranjos, orquestraçõespara o repertório mais antigo. Procurar, com respeito, umaleitura atual", diz. Uma dessas trocas materializou-se de outraforma: o livro Ópera Negra, uma obra ficcional que retrata omundo das favelas.Produzido pelo maestro e músico Rildo Hora, "Martinhoda Vila da Roça e da Cidade" tem 14 composições. "Tem que termúsica romântica, porque sou um. Esse disco me retrata. Eu gostoque as pessoas me conheçam bem", conta. No novo CD, não é essavertente musical que se destaca. A faixa de abertura é bastanteemblemática: Tô na Roça e na Cidade, de sua autoria. No show o sambista cantará também seus inúmeros sucessos.Nuances do samba - Samba em Sampa começa com o show de Elton Medeiros, queesteve em julho na cidade lançando o belíssimo CD "Aurora dePaz" (Rob Digital). Desde 1996, ele não produzia umtrabalho-solo. Elton não pode ser rotulado como sambista, pois obamba tem obra farta e diversificada. Fazem parte do seurepertório valsas, serestas, choros e as várias nunces do samba.Em Aurora de Paz, gravou dez músicas inéditas e quatroregravações. Há parcerias com Cacaso (canção que dá nome aodisco), Afonso Machado (que também foi produtor e um dosarranjadores do CD), Eduardo Gudin, Paulo César Pinheiro, PauloVanzolini, Zé Kéti, Paulinho da Viola e Regina Werneck.Sérgio Mamberti, diretor artístico do projeto, será omestre-de-cerimônias. A idéia de Samba em Sampa é retomar, noteatro, o encontro de sambistas cariocas e paulistas, dediferentes gerações. Sabiamente, Sérgio traz para todos osespetáculos o conjunto Quinteto em Branco e Preto, que tempromovido a revalorização do gênero na cidade, especialmente naperiferia, no bairro de São Matheus. O grupo é jovem e ganhourespeito de todos os grandes bambas.A cuidadosa programação terá Dona Ivone Lara, na próximasemana. No dia 25, Jair Rodrigues e Noite Ilustrada. No dia 1.º,Wilson das Neves e Celso Viáfora, no dia 8 de setembro, NelsonSargento e Guilherme de Brito, nos dias 15 e 16 de setembro,Paula Lima e Nei Lopes, nos dias 22 e 23 de setembro, MônicaSalmaso e Paulo Bellinati, no dia 29 de setembro, Paulinho daViola, Monarco e Casquinha. E encerrando, no dia 30 de setembro,Monarco e Casquinha.Martinho da Vila. Sexta e sábado, às 22 horas.De R$ 2000 a R$ 45,00. Tom Brasil. Rua das Olimpíadas, 66, tel. 3845-2326. Patrocínio: Volkswagen e Ourocard/Mastercard.Samba em Sampa. Sábado, às 21 horas; e domingo (dias 16/9, 23/9e 30/9), às 20 horas. R$ 20,00. Teatro Crowne Plaza. Rua FreiCaneca, 1.360, tel. 289-0985. Até 30/9. Patrocínio: Imprensa Oficial do Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.