JB Neto/AE
JB Neto/AE

Marisa Monte estreia turnê em SP

Apresentação da cantora carioca inova nos conceitos cenográficos dos grandes shows

Julio Maria - O Estado de S.Paulo,

22 de junho de 2012 | 11h25

Um show inovador, pop, de alto impacto visual e ritmo impecável. Marisa Monte fez a estreia de sua turnê, ontem, em São Paulo, provocando catarse em uma plateia que não parou de interagir com a artista em nenhum momento.

Marisa mostrou quase todas as músicas de seu baladeiro e refinado disco O Que Você Quer Saber de Verdade? no espetáculo que leva o nome Verdade Uma Ilusão, na casa HSBC Brasil, no Itaim. Além das músicas novas, resgatou canções de outras fases, como Beija Eu e ECT, famosa na voz de Cassia Eller, mas composta, conforme lembra Marisa, por ela e Nando Reis. Durante o show, Marisa falou da cantora. "Saudade não é sentir falta, é sentir presença. Sinto saudades de Cássia."

As quase duas horas passam com um repertório que dialoga o tempo todo com uma espécie de cenografia em 3D. A iluminação é feita com projeção de obras de artistas contemporâneos e usa não um telão para ser feita, mas praticamente todo o ambiente do palco e da plateia, o que cria uma proposta inovadora. Em um dos momentos muito aplaudidos pelo público, pontos de luz que criam figuras com movimentos circulares são projetados no vestido da cantora.

O grupo que a acompanha é formado por três integrantes do Nação Zumbi, o baterista Pupillo, o baixista Dengue e o guitarrista Lucio Maia, que mostram uma pegada leve e discreta, como grandes músicos de apoio. De imprevisto, só o teto do HSBC Brasil, que por problemas de infiltração fazia com que uma garoa caísse sobre Marisa Monte. "Nunca me senti tão em São Paulo. Estou sentindo uma garoa caindo sobre mim."

Tudo o que sabemos sobre:
Marisa-Monte

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.