Marina Lima faz show intimista em SP

Poucos artistas podem dizer que se sentem em casa em um lugar tão luxuoso quanto o hotel Fasano. Marina Lima, com certeza, faz parte dessa minoria. Isso ficou provado no momento em que a cantora pisou no pequeno palco para a estréia de sua temporada no bar Baretto, na última quinta-feira. Só para combinar com o local, a elegante carioca vestia Armani da cabeça aos pés. Na platéia, apenas 72 pessoas. Mas isso não significa que a casa estava vazia... muito pelo contrário. A casa de shows mais badalada - e cara - da cidade estava com a lotação máxima.A cantora está de volta a São Paulo depois de uma temporada de um ano dedicada a turnê brasileira de seu CD/DVD Acústico MTV. No palco, ao seu lado, a banda de sempre: Fernando Vidal (guitarra), Fábio Fonseca (piano), Edu Martins (baixo) e Cuca Teixeira (bateria). Marina entrou no palco confessando que havia planejado fazer um show eletrônico, mas que desistiu quando conheceu o local. Optou então por um show intimista, marcado pela intimidade entre a cantora e os músicos e por sua voz grave, rouca e inconfundível. O repertório começou com sucessos como O Chamado, Grávida e Ainda é Cedo, do Legião Urbana, homenagem a Renato Russo ("um amigo que nos deixou muito cedo"). Mas a platéia só começou mesmo a balançar as jóias na versão "axé-cool" de Beija Flor ("sei que São Paulo adora a Bahia") e na adaptação para Hollywood, de Madonna, que foi traduzida para Salvador. O show acabou com a emocionante Eu Não Sei Dançar.Marina também fez uma homenagem ao amigo Isay Weinfeld, arquiteto responsável pelo Fasano. "A melhor parte de fazer shows no Baretto é ficar hospedada aqui." Seus músicos concordaram. "Me sinto em casa no Fasano", brincou o guitarrista Fernando Vidal. "Só sinto falta do arroz e feijão preto do Rio". Sem conseguir deixar o palco, Marina finalizou o show com À Francesa, Pra Começar e Fullgás. Ficou faltando Vem chegando o verão..., mas talvez a noite em São Paulo estivesse muito fria para isso.Marina Lima ? De hoje a sábado, às 21h. Hotel Fasano. Rua Vittorio Fasano, 88. Tel.: 3896-4066. Preço: R$ 150.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.