Mariana Aydar, Maria Gadú e Tulipa Ruiz se unem para ajudar as vítimas da tragédia do Rio Doce

Cantoras chama 11 convidados, como Ney Matogrosso, Emicida, Paulo Miklos, Nando Reis, entre outros, em show em São Paulo

Pedro Antunes , O Estado de S. Paulo

19 de dezembro de 2015 | 16h00

Mariana Aydar havia publicado, algumas horas antes, o videoclipe de Isso Pode, canção do seu disco Pedaço de Uma Asa, de 2015. Era noite de sexta-feira, 23 de novembro deste ano, um momento pouco estratégico para um lançamento como aquele. Ela planejava publicá-lo em alguma data futura, mas 17 dias depois da tragédia de Mariana, no distrito mineiro de Bento Rodrigues, quando o rompimento de duas barragens e originou um tsunami de 62 milhões de metros cúbicos de lama e 17 mortos, além de todo impacto ambiental ainda a ser avaliado, não conseguiu mais esperar. Deixou o vídeo disponível e, pouco depois, recebeu uma ligação no celular. 

Era a também cantora Maria Gadú. O papo entre as duas foi longo. “Lançar o clipe naquela hora não foi estratégico”, conta Aydar. “Falamos por horas”, conta. As duas compartilhavam a ideia de que era preciso fazer algo para ajudar aquelas pessoas que perderam o município inteiro diante de um mar de lama. “Vamos nos mobilizar?”, sugeriu Gadu. “Demorou”, respondeu Aydar. 

Nesta segunda-feira, 21, a mobilização tomará forma. O Espaço das Américas receberá a edição paulistana do SouMinasGerais, criada pelo coletivo de mesmo nome, cujo objetivo de reunir fundos para auxiliar as vítimas da tragédia e viabilizar a pesquisa independente sobre os impactos da lama e das substâncias químicas liberadas com o vazamento na Bacia do Rio Doce. 

Gadú, que assina a direção artística, e Aydar comandam a festa ao lado de Tulipa Ruiz. As três cantoras dividirão o palco, com as respectivas bandas, ao longo das pouco mais de duas horas de show. “A ideia não é ser longo para não ficar cansativo”, explica Aydar. Ainda chamarão 11 convidados para participações especiais. São eles: Ney Matogrosso, Emicida, Paulo Miklos, Nando Reis, Filipe Catto, Ana Cañas, Tiago Iorc, Céu, Marina Lima, Fafá de Belém e Thiaguinho.

Heloisa Aidar, coordenadora de produção do SouMinasGerais, explica que todas as pessoas envolvidas na produção do show, um total de mais de 100 profissionais, entre os músicos, roadies e motoristas, não receberam cachê ou serão pagos. As marcas que apoiam a causa não irão expô-las no espaço. O dinheiro dos ingressos vai direto para um fundo filantrópico criado pela Sitawi Finanças do Bem e coordenado pelo Greenpeace. “Eu me emociono todos os dias com essa produção”, diz Heloisa. Mariana Aydar concorda: “Não tem a ver com política, com essa guerra. É algo muito maior que tudo isso.” 

#SOUMINASGERAIS 

Espaço das Américas.  

R. Tagipuru, 795, Barra Funda.

Segunda-feira (21), às 20h. 

R$ 40 (doação). 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.