Mariah Carey faz shows da turnê internacional no Japão

Depois do fracasso do álbum "Glitter", lançado em 2001, Mariah Carey fechou o ano passado com chave de ouro. Conseguiu escapar do destino que toda estrela teme - o esquecimento - e de novo se converteu na rainha da cena musical, encabeçando a lista dos álbuns mais vendidos de 2005 com "The Emancipation of Mimi". A cantora, atualmente se dedicando à turnê internacional de "The Adventures of Mimi", se apresentou nesta segunda-feira em Tóquio e fará ainda mais cinco shows no Japão.A confirmação de que cantora voltou com tudo ao cenário da música veio no início do ano, quando foram divulgados os indicados ao Grammy, o "Oscar da música" nos EUA. Mariah era a favorita, com oito indicações. Acabou levando três prêmios: melhor álbum de R&B por "The Emancipation of Mimi", melhor canção de R&B por We Belong Together e melhor atuação feminina de R&B pela mesma canção. Mariah foi aplaudida de pé após sua apresentação de "We Belong Together". Mariah, de 35 anos, tinha obtido seus últimos prêmios Grammys há 16 anos. Nesta edição, competiu em oito categorias e se ganhasse mais de cinco, o máximo que uma mulher recebeu, poderia ter batido um recorde histórico no prêmio. Em 2005, já recuperada, Mariah vendeu mais de 5 milhões de cópias do seu disco "The Emancipation of Mimi" e a música "We Belong Together" foi escolhida a mais popular do ano, nos Estados Unidos.Há 10 anos, Mariah foi indicada para seis categorias, entre elas pela música "One Sweet Day" com o cantor Boyz II Men, mas foi para casa de mãos vazias, perdendo quatro prêmios para Alanis Morissette por "Jagged Little Pill".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.