Maria Bethânia canta Vinícius em SP

Maria Bethânia volta aos palcos no show Tempo Tempo Tempo Tempo, dirigido por Bia Lessa, que estréia temporada hoje em São Paulo. O título extraído de um verso de Oração ao Tempo, do mano Caetano Veloso, representa na repetição da palavra a pontuação das quatro décadas que ela lembra no palco cantando de tudo, sem preconceito - de Tom Jobim a Benito di Paula. A base do roteiro de 46 canções em dois atos, é o recém-lançado CD Que Falta Você me Faz (Biscoito Fino), dedicado a Vinicius de Moraes (1913-1980) que a recebeu com entusiasmo na chegada ao Rio, pouco antes da estréia arrebatadora. "Tenho Vinicius muito quente na minha memória. Não tem nada de ´poetinha´, nunca o chamei assim", diz Bethânia.Longe de fazer balanço de carreira, Bethânia prefere celebrar. E canta: Chico Buarque (Olhos nos Olhos, Baioque e outras), Raul Seixas (Gita), Rosinha de Valença (Usina de Prata), Paulo Vanzolini (Volta por Cima), Lupicínio Rodrigues (Felicidade). Outras de Caetano e Vinicius ("mais tesudo do que no disco") e seus parceiros alternam-se entre inéditas de Almir Sater (Planície de Prata), Sueli Costa (Imagem, sobre poema de Cecília Meirelles), Roque Ferreira e J.Velloso (Foguete), Roberto Mendes e Capinam (Estranho Rapaz) e Totonho Villeroy (Um Dia para Vadiar). Esta, Villeroy, compôs especialmente para o show. "Ele é gaúcho, parceiro de Ana Carolina, gravou um CD com orquestra de câmara e compôs uma música em homenagem a Vinícius para uma baiana cantar", diz ela.Nesse rol de estímulos cabe também Jaime Alem (arranjos, regência e violão), que há anos vem desenhando estampas sutis sobre as canções com que Bethânia escolhe para se derramar em poesia. Se na sonoridade e na amplitude de emoções ela mantém a equalização com o show Brasileirinho, também dirigido por Bia Lessa, a transição visual contrasta. Daniela Thomas criou um cenário abstrato, em linhas geométricas e com diversas referências a grandes nomes da arte contemporânea, que o público estranhou na temporada carioca. "É natural que as pessoas fiquem sem entender", diz Bethânia. Este é um show urbano, os elementos usados têm a ver com a época que nossos artistas plásticos estavam avançando." Ali estão alusões a Hélio Oiticica, Lina Bo Bardi, Volpi. Para tudo se encerrar num soneto de fidelidade - a ela própria. Maria Bethânia - DirecTV Music Hall (1.600 lugares). Av. Jamaris, 213, Moema, 6846-6040. Hoje, 21h30; 6.ª e sáb., 22h; dom., 20h. R$ 70 a R$ 120. Até 10/4.

Agencia Estado,

31 de março de 2005 | 14h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.