JF DIORIO/AE
JF DIORIO/AE

Marciano mudou a música sertaneja com 'Fio de Cabelo'

Marciano, que por anos fez dupla com João Mineiro, deixa álbum de músicas inéditas praticamente pronto

O Estado de S.Paulo, O Estado de S.Paulo

18 de janeiro de 2019 | 20h15

O cantor sertanejo Marciano (conhecido como O Inimitável) morreu nesta sexta-feira, 18, aos 67 anos, em sua casa em São Caetano do Sul, no ABC paulista. Ele sofreu um enfarte e não resistiu. A morte pegou os fãs de surpresa, já que Marciano não apresentava problemas prévios de saúde.

Destaque da música sertaneja desde os anos 1970, em parceria com João Mineiro, Marciano ganhou fama ao dar voz a clássicos como Fio de Cabelo, Paredes Azuis e Menina, Escuta Meu Conselho. Desde 2016 ele formava dupla com Milionário (José Rico morreu em 2015; João Mineiro, em 2012). A informação da morte de Marciano foi divulgada nas redes sociais do artista por sua equipe. 

O artista contava com certo rancor que a música Fio de Cabelo, uma das sertanejas de maior sucesso no Brasil, foi considerada “muito forte” por seu parceiro da época, João Mineiro. João não quis gravá-la e a composição, que Marciano dividiu com Darci Rossi, acabou indo parar nas mãos de Chitãozinho & Xororó e sendo regravada depois por mais de 400 vezes. Quando Fio de Cabelo saiu no disco de 1983, que ganhou o título equivocado de Somos Apaixonados talvez pelo fato de a gravadora também não acreditar no potencial daquele fio, o estouro foi imediato. Chitãozinho & Xororó chegavam ao Brasil raso e profundo pela primeira vez, vendendo a marca impressionante de 1,5 milhões de cópias de vinis. Outras músicas renderiam muito a qualquer dupla que as gravasse, como Ainda ontem chorei de saudade e Se eu não puder te esquecer.

Havia uma relação nada saudável entre Marciano e seu filho, Fabiano. O próprio falou sobre isso em um comunicado colocado ontem em suas redes sociais. “Todos que me conhecem sabem da péssima relação que eu tinha com meu pai, mas estou muito triste com essa notícia. Por mais que éramos afastados, mas era meu pai. Morre um dos maiores cantores sertanejos desse País.” Fabiano foi um filho que Marciano só saberia da existência depois de um exame de DNA feito em 1997, no Programa do Ratinho. O sertanejo não se aproximou do filho e ainda o processou, pedindo uma indenização de R$ 20 mil.

Amigos próximos contam que Marciano estava muito animado com um disco pronto, cheio de músicas inéditas, e que tinha tudo para ser considerado um de seus maiores trabalhos.

Tudo o que sabemos sobre:
MarcianoJoão Mineiromúsica caipira

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.