Kamil Krzaczynski / AFP
Kamil Krzaczynski / AFP

Manuscrito de 'Hey Jude', de Paul McCartney, é leiloado por R$ 4,6 milhões

O documento, escrito pelo artista e usado durante a gravação do clássico em 1968 foi vendido por uma quantia cinco vezes maior que a estimada

Redação, AFP

11 de abril de 2020 | 17h33

O manuscrito do clássico dos Beatles, Hey Jude, de Paul McCartney, usado durante a gravação em 1968, foi vendido por US$ 910.000 (R$ 4,6 milhões) durante um leilão on-line nesta sexta-feira pelo 50º aniversário da separação da lendária banda britânica.

O documento, escrito por McCartney e usado durante a gravação do clássico em 1968 nos estúdios Trident de Londres, foi vendido por uma quantia cinco vezes maior que a estimada.

O Julien's Auctions, sediado em Los Angeles, negociou a venda on-line de cerca de 250 objetos dos Beatles devido à pandemia de coronavírus, com fãs de todo o mundo fazendo lances em guitarras, vinis e itens autografados.

Esta sexta-feira marca exatamente meio século desde a entrevista em que McCartney anunciou o fim da banda mítica, considerada uma das mais influentes da história.

McCartney escreveu Hey Jude após uma separação anterior, o divórcio de Lennon de sua primeira esposa Cynthia depois de seu caso com a artista japonesa Yoko Ono.

A música foi composta para confortar o filho de Lennon, Julian, durante a separação de seus pais, e foi inicialmente intitulada Hey Jules.

O documento vendido contém uma letra parcial juntamente com anotações que incluem a palavra "break" ("pausa", em inglês) usada para ajudar na gravação da música.

Tudo o que sabemos sobre:
Paul McCartney

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.