Luciana Prezia
Luciana Prezia

Manu Gavassi aceita o desafio e investe no pop

Cantora e atriz paulistana começa turnê para divulgar novo CD, ‘Manu’, que mostra sua fase mais madura

Pedro Rocha / ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

21 Maio 2017 | 03h00

O pop no Brasil tem um desafio a enfrentar. O ritmo é consolidado nos Estados Unidos e em composições em inglês.

Por aqui, são poucos os artistas que conseguem produzir um pop de qualidade, em bom português, e que fazem sucesso com mais de uma música. A cantora e atriz Manu Gavassi, porém, não se intimidou e aceitou passar pela prova.

“Tenho essa impressão. Esse tipo de música é muito importado, a indústria pop dos EUA é imensa. Nós ficamos tímidos de fazer pop porque não temos tantos recursos”, reflete Manu em entrevista ao Estado. “Eu quis achar talentos aqui, produtores que estão em contato com gente de fora, mas que querem achar uma essência brasileira, começar um pop brasileiro.”

Para isso, a cantora recrutou um time que conta com os produtores Tropkillaz, Umberto Tavares e o grupo HEAD Media. O resultado é o álbum Manu, que acaba de ser lançado e traz um tom mais maduro e eletrônico que seus trabalhos anteriores, Manu Gavassi (2010) e Clichê Adolescente (2013), que apresentavam uma espécie de folk infantojuvenil.

“Comecei com músicas sobre o primeiro beijo, o primeiro namoro”, lembra. “Nos últimos anos, percebi que minha vida não é mais focada em relacionamentos, mas em descobrir como é essa jovem mulher de 20 e poucos anos que eu sou agora”, diz Manu, que afirma que a primeira música que surgiu nesse processo foi Hipnose.

O caminho, que já havia sido pavimentado com o EP independente Vício (2015), produzido por Júnior Lima, chegou a Manu, que mostra seu tom mais maduro já na foto de capa, em que a cantora aparece totalmente nua. Manu acredita que a imagem traduza perfeitamente a sua fase atual. “Mostra como estou segura com meu corpo, minha música e meu momento.”

Nas redes sociais, a foto chegou a ser comparada com a de Revival, mais recente álbum da norte-americana Selena Gomez, que também marcou, para ela, a passagem de cantora teen para um pop mais maduro. A brasileira afirma que o disco em questão foi inspiração para Manu, mas não a capa.

Outra polêmica foi com o clipe Hipnose, similar ao de Hypnotic, da cantora Zella Day. Na descrição do seu vídeo no YouTube, Manu diz deixar clara a inspiração e afirma que o diretor do clipe, Gianennio Salucci, gostou da homenagem. “Para mim, não foi uma polêmica, Salucci mandou uma mensagem dizendo estar feliz por seu trabalho chegar ao Brasil e me convidou para gravar com ele.”

Ela, que se divide entre as carreiras de atriz e também de escritora – planeja lançar o primeiro livro, uma ficção, ainda este ano pela editora Rocco –, vai rodar o País com uma turnê de apoio ao seu novo álbum, em que vai assumir o desafio de subir ao palco, pela primeira vez, como uma verdadeira cantora pop, com dançarinos e coreografia. “Vai ser uma turnê bem diferente do que estou acostumada a fazer, achei que esse momento pedia. Vou dançar também, estou ensaiando bastante”, revela a também atriz Manu.

Em São Paulo, o show da turnê de seu novo disco será neste domingo, 21, quando a cantora e compositora se apresenta no Tom Brasil. Depois, segue para Porto Alegre, Curitiba, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

MANU GAVASSI. Tom Brasil. R. Bragança Paulista, 1.281; tel. 4003-1212. Dom. (21/5), às 20h. R$ 100 a R$ 180

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.